domingo, 19 de julho de 2015

Como Limpar Cama Box Encardida



Alguém compartilhou no facebook e resolvi repassar para vocês. Espero que dê certo, confesso que ainda não sei se funciona, mas vou fazer o teste. Fica a dica.




Capturar




Como Limpar Cama Box Encardida
1 copo de álcool
3 copos de vinagre
1 colher de bicarbonato de sódio
3 colheres de amaciante
1 toalha de rosto
Modo de Preparo





Em um balde, faça a mistura acima detalhada. Molhe a ponta da toalha e esfregue vigorosamente em todo o colchão. Quando acabar esse procedimento, deixe a cama exposta ao sol intenso. Caso você more em apartamento e não há possibilidades de pegar sol, o secador de cabelo pode ser utilizado, porém o gasto de energia é enorme. Se houver uma boa ventilação no apartamento, deixe a cama nessa área, com isso a utilização do secador de cabelo pode ser desconsiderada.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Carrasco em 1950, Ghiggia morre no aniversário do Maracanazo




Morreu na tarde desta quinta-feira, aos 88 anos e vítima de uma parada cardíaca, o ex-jogador Alcides Ghiggia, autor do gol uruguaio que derrubou o Brasil na final da Copa do Mundo de 1950. E quis o destino que o carrasco partisse justamente na data que ele ajudou a tornar histórica: 16 de julho.

A informação, que começou a circular nas redes sociais no final da tarde de quinta, foi confirmada pelo jornal uruguaio "El Pais". Carrasco brasileiro no "Maracanazzo", Ghiggia era o último jogador vivo que disputara a decisão do Mundial de 50.

Alcides Edgardo Ghiggia foi um dos melhores atacantes dos anos 40 e 50, jogando sempre pela direita, com dribles rápidos, cortes secos e chutes colocados. Era peça indispensável no ataque do Peñarol, onde ganhou fama a partir de 48.

Em 1957, Ghiggia se naturalizou italiano e chegou a vestir a camisa da Azzurra, mas não conseguiu ajudar o time a se classificar para a Copa de 58, na Suécia, onde o Brasil conquistaria seu primeiro título mundial, com Pelé ainda adolescente.






Estrela do Peñarol e ídolo na Itália

Depois de ganhar dois títulos nacionais com a camisa do Peñarol, o ponta direita foi vítima do próprio temperamento, na temporada de 52, quando agrediu um árbitro e acabou suspenso por um ano.

Cumprida a suspensão, chegou o momento de mudança de ares para o atacante impetuoso. No começo da temporada de 53, Ghiggia foi transferido para a Roma e, quatro anos depois, era o capitão do time.

Pela Roma, foi campeão do torneio que deu origem à Copa da Uefa, em 61, embora não tivesse participado da grande final contra o Birmingham City, da Inglaterra.

Em oito temporadas com a camisa da Roma, Ghiggia marcou 15 gols. Mas, apesar do talento ofensivo, o uruguaio não conseguiu conquistar o Scudetto pela Roma: sua melhor classificação foi um terceiro lugar, na temporada de 1955.

Em 1961, Ghiggia completou 35 anos e se transferiu para o Milan. Um dos mais velhos do time, ele ainda teria fôlego para conquistar o Scudetto daquele ano. Com a medalha na mala, ele retornou ao Uruguai logo em seguida para vestir a camisa do Danúbio. Jogou até os 41 anos e se aposentou em 1965.





Algoz do Brasil, amigo dos brasileiros

Apesar da fama de algoz da seleção brasileira, o ex-atacante do Peñarol tinha muitos amigos no Rio de Janeiro.

Ele e outros jogadores uruguaios vinham com frequência ao Brasil e costumavam passar dias agradáveis no sítio do craque Zizinho.

Nesses encontros, uma regra era seguida como mandamento religioso: ninguém podia falar de futebol. Ninguém podia mencionar a final de 1950, tida como o maior desastre na história do esporte brasileiro: "tragédia do Maracanã", para os brasileiros.
"Maracanazo", para os uruguaios e vizinhos de língua espanhola.

Amável em suas lembranças, o ex-atacante era preciso na narrativa: "Ninguém entendia como mantínhamos amizade com os brasileiros, mas era verdade. Quero voltar ao Rio de Janeiro para ver a Copa 2014 e ver o Maracanã de novo", desejava Ghiggia na sua entrevista em abril de 2012 ao UOL Esporte, concedida ao repórter Bruno Freitas, no Uruguai.

"De futebol não se falava. Se falava de outras coisas, mas de futebol, não. Quando vinham aqui a Montevidéu, comíamos um belo assado com eles"
, recordou-se Ghiggia.

O grupo de uruguaios era pequeno. Junto com Ghiggia vinham ao Brasil o capitão Obdulio Varela e goleiro Maspoli. O ex-atacante se lembrou que os parceiros brasileiros no sítio de Zizinho eram o artilheiro Ademir de Menezes e o goleiro Moacyr Barbosa.

A crônica da época culpou o goleiro Barbosa pelo fracasso brasileiro naquela final. Barbosa foi massacrado até sua morte em 2000. Nesse ponto, o atacante Ghiggia se transforma em um defensor generoso.

"Estive uma vez com o Barbosa, no Rio de Janeiro. Lamento muito o que se passou com ele. Colocaram a culpa só nele. No futebol, quando se perde, perdem os 11. Quando se ganha, ganham os 11. Não um só"
, argumentou Ghiggia.

Foi a última entrevista concedida a um veículo brasileiro e marcada por
"bons momentos e frases secas", escreveu o repórter. Durante a conversa, Ghiggia se revelou solidário aos torcedores, que sofreram tanto com a derrota de 1950.

Para Ghiggia, a Copa de 2014 poderá, com uma provável vitória do Brasil, enterrar para sempre o pesadelo vivido na romântica Rio de Janeiro. Esse era o pensamento amigável do matador uruguaio, que marcou um gol impossível, sem ângulo e mergulhou o Maracanã em profunda tristeza.







Neymar é irreverente. Messi, o melhor

Ghiggia nunca se desligou do futebol. Como um velho bruxo de ataque, ele foi chamado a comparar o argentino Messi a outros jogadores dos anos 50 e 60, durante a conversa de abril.

"É difícil comparar o argentino a outros jogadores de meu tempo", disse o uruguaio. "Não tenho dúvida de que ele seja o melhor do mundo neste momento, mas me divirto também com o futebol irreverente de Neymar", elogiou Ghiggia. "Neymar é muito hábil para jogar, é rápido pelas pontas e não tem medo de driblar. Me diverte", disse o uruguaio.

Do Mundial de 1950, Ghiggia guardava poucos objetos. Da final, restava uma gravação radiofônica que descreve e eterniza a vitória contra o Brasil. A emoção aguda o impediu de continuar saboreando aqueles momentos épicos que só um esporte de massa pode proporcionar.

"Faz muitos anos que passou o Mundial. Sempre que chega 16 julho penso nos companheiros, penso nos adversários. Tenho as gravações em casa e não escuto. Minha senhora não deixa eu escutar porque diz que me emociono. A verdade é que passou, tive uma época dentro do futebol, contribuí com um campeonato do mundo, e nada mais", disse o ex-atacante.


Nova Tabela Completa com os Valores das Multas já Reajustadas para o ano de 2015


  • Tabela de Multas 2015

    Portal especializado em informações sobre o tabela de multas. Fique ligado em todas as novidades e informações atualizadas sobre o código de trânsito brasileiro. Confira as nossas matérias e fique informado sobre as novidades em relação à multas, pontuação, valores e recursos.

  • tabela de multas 2015
    INFRAÇÕES GRAVÍSSIMAS – 7 pontos + multa
    Avançar sinal vermelho do semáforoMulta de R$ 1****
    Transitar em sentido oposto ao estabelecidoMulta de R$ 191,54
    Transitar em calçadas, passeios e passarelasMulta de (R$ 574,62)
    Transitar em canteiro central, ilhas, refúgios, marcas de canalização, acostamentoMulta de (R$ 574,62)
    Transitar derramando, lançando ou arrastando carga transportadaMulta de (R$ 191,54) e retenção do veículo
    Executar retorno em local proibido pela sinalizaçãoMulta de (R$ 191,54)
    Avançar o sinal de Parada Obrigatória, cancela/áreas especiaisMulta de (R$ 191,54)
    Velocidade incompatível à intensa circulação de pedestresMulta de (R$ 191,54)
    Dirigir sem CNHMulta de R$ 5*** e apreensão do veículo
    Dirigir com CNH VencidaMulta de R$ 1*** retenção da carteira e do veículo
    Dirigir sob influência de álcool (+ de 0,6 gramas/litro de sangue) ou qualquer substância entorpecenteMulta de R$ 9*** e suspensão do direito de dirigir
    Levar menor de 10 anos no banco da frenteMulta de 180 UFIR (R$ 191,54) e retenção do veículo
    Disputar “racha”Multa de 540 UFIR (R$ 574,62) e apreensão do veículo
    Transitar em velocidade superior em 20% à máxima permitida em vias rápidas/arteriaisMulta de R$ 5*** e suspensão do direito de dirigir
    Transitar em velocidade superior em 50% à máxima permitida em vias coletoras/locaisMulta de R$ 5*** e suspensão do direito de dirigir
    Motorista envolvido em acidente não prestar socorro à vítimaMulta de (R$ 574,62) e suspensão do direito de dirigir
    Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a rua ou demais veículosMulta de R$ 1*** suspensão do direito de dirigir, recolhimento da habilitação e retenção do veículo
    INFRAÇÕES GRAVES – 5 pontos + multa de 120 UFIR
    Transitar pela contramão em via de sentido duploMulta de (R$ 127,69)
    Transitar com caminhão/ônibus em local e horários não permitidosMulta de (R$ 127,69)
    Transitar na faixa/pista exclusivaMulta de (R$ 127,69)
    Efetuar conversões em local proibidoMulta de (R$ 127,69)
    Transitar em marcha à ré, salvo em pequenas manobrasMulta de (R$ 127,69)
    Estacionar em fila duplaMulta de (R$ 127,69) e remoção
    Estacionar afastado da guia (+ de 1 metro)Multa de (R$ 127,69) e remoção
    Estacionar veículo no passeio ou sobre a faixa de pedestresMulta de R$ 1*** e remoção
    Estacionar ao lado ou sobre o canteiro central, ilhas, refúgios ou canalizaçõesMulta de (R$ 1***) e remoção
    Estacionar em local/horário com proibição de parar e estacionarMulta de (R$ 1***) e remoção
    Transitar com veículo com altura acima da permitidaMulta  de (R$ 1***)
    Não usar cinto de segurança (condutor e passageiros)Multa de (R$ 1***) e retenção do veículo
    Seguir veículo em serviço de urgência com prioridade de passagemMulta de (R$ 127,69)
    Deixar de indicar com antecedência, mediante gesto regulamentar de braço ou luz indicadora, o início da marcha, estacionamento, mudança de direção ou de faixa de circulaçãoMulta de (R$ 127,69)
    Transitar com farol desregulado ou com o facho de luz alto ofuscando os demais condutoresMulta de 120 UFIR (R$ 127,69) e retenção do veículo para regularização
    Transitar com veículo produzindo fumaça, gases ou partículas acima dos níveis admitidosMulta de 120 UFIR (R$ 127,69) e  retenção do veículo para regularização
    Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20% em vias de trânsito rápido/viasMulta de (R$ 1***)
    Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 50% em vias coletoras/locaisMulta de (R$ 1***)
    Estacionar veículo no passeio ou sobre a faixa de pedestresMulta de (R$ 1***)
    Dirigir veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurançaMulta de 120 UFIR (R$ 127,69) e retenção do veículo para regularização

    INFRAÇÕES MÉDIAS – 4 pontos + multa de 80 UFIR
    Parar o veículo sobre a faixa de pedestres, na mudança de sinal luminoso (semáforo)Multa de 80 UFIR (R$ 85,13)
    Parar na área de cruzamento, prejudicando demais veículos e pedestresMulta de 80 UFIR (R$ 85,13)
    Transitar em local/horários não permitidosMulta de 80 UFIR (R$ 85,13)
    Não conservar veículo de grande porte na faixa da direitaMulta de 80 UFIR (R$ 85,13)
    Não deslocar veículo com antecedência para manobrar à direita ou à esquerdaMulta de 80 UFIR (R$ 85,13)
    Veículo parado na via por falta de combustívelMulta de 80 UFIR (R$ 85,13) e remoção
    Estacionar a menos de 5 metros da esquina (alinhamento da transversal)Multa de (R$ 8***) e remoção
    Estacionar diante de guia rebaixadaMulta de (R$ 8***) e remoção
    Estacionar diante de pontos de transporte coletivoMulta de (R$ 8***) e remoção
    Estacionar/parar na contra-mão de direçãoMulta de (R$ 8***)
    Estacionar em local/horário proibido pela sinalizaçãoMulta de (R$ 8***) e remoção
    Parar veículo afastado da guia (+ de 1 metro)Multa de 80 UFIR (R$ 85,13)

    INFRAÇÕES LEVES – 3 pontos + multa de 50 UFIR
    Transitar na faixa/pista da direita, quando esta for de circulação exclusivaMulta de 50 UFIR (R$ 53,20)
    Estacionar afastado da guia de 50 cm a 1 metroMulta de (R$ 5***)e remoção
    Estacionar em desacordo com a regulamentação (Zona Azul, Táxi etc.)Multa de (R$ 5***)e remoção
    Parar no passeio/calçadaMulta de 50 UFIR (R$ 53,20)
    Usar buzina prolongada e sucessivamente a qualquer pretextoMulta de (R$ 5***)
    Dirigir sem atenção ou os cuidados indispensáveis à segurançaMulta de (R$ 53,20)


    Multas mais procuradas:

    Multa por excesso de velocidadeMulta Excesso de Velocidade

    Os limites de velocidade são estabelecidos em função da, geografia, localização e condições da via.
    A categoria dos veículos que transitam pelas pistas, também influenciam na questão dos limites de velocidade dentre outras coisa. A multa por excesso de velocidade está em primeiro lugar no ranking de multas no Brasil.


    Multa por avançar sinal vermelhoMulta por avançar o sinal vermelho

    Quem nunca resolveu dar uma apertada no pé quando viu um sinal amarelo. A tática, característica dos mais apressados. Avançar o Sinal Vermelho além de ser uma infração gravíssima, coloca em risco a vida do condutor de outros condutores e pedestres, por isso muita consciência antes de pensar em ultrapassar o sinal vermelho.


    estacionar em local proibidoMulta por estacionar em local não permitido

    Alguns motoristas insistem em parar o carro em locais proibidos, mesmo sabendo que a penalidade pode ser grave. Porém a multa por estacionar em local proibido, também tem se tornado rotina, principalmente nas grandes cidades, pelo grande volume de carros. Muitos se valem da desculpa de uma parada rápida, porém, o ato também é uma infração e gera multa.


    ultrapassar em local proibidoMulta por ultrapassar em faixa continua

    Apesar de representar apenas 3% do total de acidentes nas rodovias brasileiras, a colisão frontal é responsável por 1/3 das mortes. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, esse tipo de colisão invariavelmente é decorrente de ultrapassagens perigosas, por este motivo houve um aumento no valor de multa por ultrapassagem em faixa continua.


    multa por dirigir falando ao celularMulta Por Falar No Celular

    Dentre tantas funções que necessitam de nossa atenção plena, está o ato de dirigir. Estar atento ao que se passa nas ruas enquanto você dirige é essencial, para preservação da sua vida e da vida de tantas outras pessoas. Mas, muitas vezes cometemos o erro dirigir falando ao celular, e nos distraímos, colocando em risco não apenas a nossa vida, mas também de outras pessoas.


    multa por falta de cinto de segurançaMulta por não usar cinto de segurança

    O cinto de segurança é um dispositivo simples para à segurança do condutor e dos passageiros dentro do veículo. Seu uso no banco traseiro é tão importante quanto no banco dianteiro. Em situações de colisão ou freadas bruscas, ele impede que seu corpo se choque com o painel, para-brisas ou contra as partes rígidas do veículo, o não uso do cinto, pode resultar em uma infração de transito.


    tabela de multa de transitoInfração Gravíssima

    As multas gravíssimas além de acarretarem altos valores, podem gerar sanções penais e podem culminar inclusive em prisão e processos. O aumento nos valores das multas mostra que a lei está cada vez mais rígida com as infrações de transito.

    multa por não portar cnhMulta por não portar a CNH

    Muitos motoristas se arrisca em dirigir sem CNH, talvez por falta de informação ou imprudência, porém e isso pode acarretar penalidades como multa e pontuação na CNH. No Código de Trânsito dirigir sem CNH é previsto como infração, tanto da situação da pessoa que não é habilitada quanto da que não está portando o documento que comprova tal condição.

    Pneu careca multaMulta Por Pneu Careca

    Aos condutores vale informar que, não adianta apenas ter um carro, deve-se cuidar da manutenção preventiva e corretiva do mesmo. Um carro requer cuidados e atenção redobrada, além de manutenção constante, afim de evitar problemas maiores e até mesmo multas por onde você andar. Os pneus devem estar entre esses cuidados, pois além de ajudar a evitar acidentes, previne multas desnecessárias.

Morre, aos 87 anos, o artista Campobonense Ernesto Scheffel







Dedicado às artes visuais, Scheffel lutava contra um câncer de via biliar


Ernesto Frederico Scheffel foi movido por grandes sonhos. Os primeiros eram daqueles quase impossíveis para um guri nascido em Campo Bom, em 1927, filho de um descendente de imigrantes alemães que sustentava a família como sapateiro e barbeiro. Ele queria ser artista. E não só: ser artista no berço do Renascimento.

Scheffel morreu na manhã desta quinta-feira, 16 de julho, aos 87 anos, no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. O velório ocorrerá na Fundação Ernesto Frederico Scheffel (Avenida General Daltro Filho, 911, Novo Hamburgo), a partir das 18h e vai até as 23h. Na sexta, reinicia às 7h e encerra às 15h. O corpo de Scheffel será cremado Novo Hamburgo, em evento fechado para a família.

Ele lutava há anos contra um câncer de via biliar, mas teve em vida a felicidade de realizar os maiores de seus sonhos. Conseguiu virar artista e passou boa parte de sua vida em Florença. Na cidade italiana em que cada lugar transborda arte e história, ele desenvolveu sua carreira estudando com grandes mestres e vendo de perto o legado dos gigantes renascentistas.







Scheffel encantou a Presidente Dilma


Como muitos aprendizes, Scheffel começou praticando cópias dos clássicos, na tentativa de decifrar suas técnicas e códigos. Deu forma assim a uma produção de grande afinidade com a arte antiga. Fez desenhos, esculturas, mas principalmente pinturas de temas e gêneros figurativos, em técnicas como afresco e óleo. Nunca se concentrou em uma escola ou movimento. Ao contrário, transitou por diversas correntes, plasmando em sua obra influências diversas, como barroco, romantismo, realismo e simbolismo. Essas referências, ao mesmo tempo em que lhe conferiram um caráter passadista, também o mantiveram afastado das vanguardas, grupos e manifestos artísticos que agitaram a primeira metade do século 20, no Brasil e no mundo.

Tal trajetória ajuda a explicar o relativo afastamento que manteve do ambiente das artes gaúchas no período protagonizado por seus pares de geração como Iberê Camargo, Carlos Scliar, Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Danúbio Gonçalves e Vasco Prado. Talvez por isso, Scheffel também não tenha desfrutado em sua terra do reconhecimento e do prestígio de seus contemporâneos.




Ernesto Scheffel lança autobiografia para celebrar os 35 anos de sua Fundação

No livro de memórias Scheffel por Ele Mesmo (2013), o artista lembra que seu primeiro contato com a arte se deu em 1935, quando visitou Porto Alegre com os pais nas comemorações do centenário da Revolução Farroupilha. Em uma exposição que integrava os festejos, o guri de oitos anos que vivia em Hamburgo Velho, o bairro histórico da colonização alemã em Novo Hamburgo, impactou-se ao ver as paisagens pintadas por Pedro Weingartner.





O que aconteceu depois é digno de um roteiro de cinema. Um desenho do garoto Scheffel chegou aos olhos de Cordeiro de Farias, interventor do Estado (equivalente a governador) entre 1938 e 1943. Encantado com o talento precoce, o político decidiu encaminhá-lo. Scheffel se mudou para Porto Alegre e começou a estudar no Instituto de Belas Artes (hoje Instituto de Artes da UFRGS) e no Instituto Parobé. Teve como professores João Fahrion, Angelo Guido, Fernando Corona, José Lutzenberger, João Cândido Canal e Bento Castañeda, entre outros.

Nesse aprendizado, foi atrás de um novo sonho: decidiu conhecer Osvaldo Teixeira, então diretor da Escola Nacional de Belas Artes. Agraciado com uma bolsa do Estado do RS, mudou-se para o Rio de Janeiro e logo começou a participar de salões de arte pelo país. Em 1958, ganhou um prêmio-viagem que o levou à Europa. Tão logo conseguiu se estabelecer, radicou-se na sonhada Florença, onde viveria as quase cinco décadas seguintes.




Nos anos 1970, Scheffel começou a passar temporadas maiores no Brasil. Foi quando ele reencontrou o antigo casarão de Hamburgo Velho onde havia estudado. Sensibilizado pelo estado precário da construção erguida em 1890, deu início a uma luta pela preservação da região. O imóvel foi desapropriado pela prefeitura e oferecido ao artista para acolher seu acervo. E assim nasceu a Fundação Scheffel, onde estão cerca de 400 obras que contam a história de Scheffel.





Essa coleção apresenta seus primeiros trabalhos de formação, passando pelas pinturas com que participou de salões de arte no país, até as obras que realizou na Itália. Há desenhos e esculturas, mas a maior parte são pinturas, com destaque para as de grandes proporções, como Rixa Gaúcha, uma ode à cultura sulista com mais de quatro metros de largura por dois metros de altura para a qual o folclorista Paixão Côrtes serviu como modelo.






Em 2015, Hamburgo Velho foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), garantindo a preservação do casario. Foi o ponto final de uma conquista iniciada em 1985 com o tombamento da casa mais antiga da região, de 1831, que abriga o Museu Comunitário Casa Schmitt-Presser. E, assim, Scheffel testemunhou em vida a concretização de um de seus últimos grandes sonhos.



Algumas Obras

























* Zero Hora