sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Gil gomes - Por onde anda?

 


Gil Gomes ficou famoso no programa: Aqui agora no SBT na década de 90. O programa tinha forte apelo popular caracterizado por seu formato e linguagem diferenciado do jornalismo sisudo e bem comportado da rede Globo  

O programa jornalístico dava ênfase a reportagens sobre acidentes graves e crimes de toda sorte, Gil Gomes teve um papel destacado. Foi no Aqui Agora que ele aprimorou o visual, a voz e o gestual que caíram no gosto do grande público e serviram de inspiração para os imitadores dos programas de humor.
 
 
Gil Gomes vestia uma camisa de cores berrantes, como se tivesse sido comprada numa banca de camelô de um bairro popular, em sua mão direita empunhava o microfone e a esquerda gesticulando em horizontal como se alisasse o pelo de um cão, Gil Gomes narra os fatos diretamente da cena do crime com sua voz arrastada e grave, que cresce em volume nos momentos mais dramáticos. Usa frases curtas, que às vezes nem chega a completar. Nas entrevistas, não adota uma posição neutra: se emociona diante das vítimas e explode de indignação diante dos criminosos.

 

Nota do autor   

 As crianças da época adoravam imitar o Gil Gomes,aquela voz grave pausada e os trejeitos com a mão.Gil Gomes era um dos repórteres mais famosos da época e a principal atração do programa.Hoje alguns programas de televisão na Bahia adotam formatos e linguagens populares e utilizam apresentadores e repórteres cada vez mais de forte apelo popular,é o caso de programas como :Na mira, Se liga Bocão etc.

 

 fonte: http://vejameurascunho.blogspot.com.br

tags: gil gomes, por onde anda, sumido, desaparecido, aqui e agora, sbt 

Por onde anda Baby Consuelo?




Baby do Brasil iniciou sua carreira como cantora do grupo Novos Baianos. Oriunda de uma família de classe média alta, foi criada nas cidades de Niterói e Rio de Janeiro. Começou a cantar e tocar violão ainda na infância, chegando inclusive a vencer um festival de música em Niterói aos 14 anos, no qual interpretou uma música do renomado maestro Eduardo Lages.
Em 1969, fugiu de casa para Salvador, Bahia, onde conheceu os músicos Moraes Moreira, Galvão e Paulinho Boca de Cantor, assim como o guitarrista e futuro marido Pepeu Gomes. Estava formado o grupo Os Novos Baianos, que, no ano seguinte, lança seu primeiro disco, É Ferro na Boneca, pela gravadora RGE Fermata. O trabalho coloca a banda na mídia nacional. Pouco tempo depois, a banda se muda para um sítio em Jacarepaguá, bairro do Rio de Janeiro, laboratório para criação daquele que viria a ser o LP de maior sucesso da banda, Acabou Chorare, eleito pela revista Rolling Stone Brasil como "o maior álbum de música brasileira de todos os tempos". Baby e Pepeu permaneceram no grupo até 1978, quando foi decidido que cada um iniciaria sua carreira solo.
O primeiro álbum solo de Baby, O Que Vier Eu Traço, atinge grande sucesso de mídia e de vendagem pela gravadora Warner Music. Seu primeiro grande sucesso solo foi a canção Menino do Rio, de Caetano Veloso, composta exclusivamente para Baby e tema da novela Água Viva da Rede Globo. A música fez parte de seu segundo disco solo, Pra Enlouquecer, novo campeão de vendas. Na capa, Baby aparece ao lado de quatro de seus (futuros) seis filhos: 'Riroca (que viria a trocar seu nome para Sarah Sheeva), Zabelê, Nana Shara e Pedro Baby. Os quatro tornaram-se músicos, e as três garotas viriam a formar a girl-band SNZ. Baby ainda daria à luz outros dois meninos: Krishna Baby (que aparece na contracapa do disco que leva o nome da criança, de 1984) e Kriptus Baby (presente na capa do álbum Sem Pecado e Sem Juízo, do ano seguinte).
No fim da década de 1990, Baby se tornou evangélica, mantendo sua carreira de cantora ao mesmo tempo que se tornou pastora da Igreja Ministério do Espírito Santo de Deus.
Atualmente está em produção o filme documentário "Apopcalipse segundo Baby", direção de Rafael Saar, uma cinebiografia da artista.


A parceria paz e amor dos “Novos Baianos” Pepeu Gomes e Baby do Brasil rendeu vários frutos: Riroca (que depois mudou o nome para “Sarah Sheeva”), Nana Shara, Pedro Baby, Krishna Baby, Kriptus Baby e Zabelê.



Ícone do período transgressor dos anos 70 com os Novos Baianos, Baby do Brasil leva uma vida bem diferente daquela que parecia ter liberdade ilimitada. Hoje, a cantora é evangélica e líder da Igreja Ministério do Espírito Santo de Deus em Nome do Senhor Jesus Cristo. 
Por conta disso, o sexo passou a ocupar lugar de pouca evidência na vida pessoal, conforme declarou em entrevista ao Ego. “Sempre tive homem na minha cama. Fui casada 18 anos com o Pepeu (Gomes, cantor), depois oito com o Nando Chagas (também músico). Sei que é bom. Tenho desejo, mas a carne não me vence. Não tenho que tomar o cálice até a última gota. Pai, afasta de mim esse cálice! Mas, para mim, nunca foi difícil (ficar sem sexo), sempre foi muito fácil. Graças a Deus, nasci com este dispositivo”, afirmou Baby, que assumiu também que não faz sexo há 13 anos.
Mas, engana-se quem pensa que Baby integra o time das religiosas moralistas. “Não sou acusadora, cheia 
de preconceitos. Me vejo muito como sobrenatural, bem 'Matrix' mesmo. Não estou além de nada, mas acho que tenho as antenas ligadas no sobrenatural de Deus. Vivo mais para o lado de lá do que para o lado de cá. Sou evangélica porque sou do Evangelho. Crente o diabo também é, porque ele sabe que Deus existe muito mais do que a maioria das pessoas. Sou crédula, da galera do 'eu creio'. Senão você taxa de alguma coisa, uma igreja ou pastor faz uma coisa errada e fica todo mundo com aquela cara... Sou evangélica, mas é bom que saibam que não estou fazendo parte de nada que está envolvido com qualquer coisa que não seja de fato os ensinamentos de Cristo”, concluiu.

http://www.cnews.com.br/conteudo_entretenimento.aspx?id=150742
http://pt.wikipedia.org/wiki/Baby_do_Brasil

Reality show com netas de Nelson Mandela



As netas do ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela dizem tem recebido a bênção do avô para estrelar em um reality show chamado Ser Mandela, que será exibido a partir deste domingo na TV americana. A série de 13 episódios já foi filmada e mostra as duas mulheres, Swati Dlamini e Zaziwe Dlamini-Manaway, enquanto elas tentam conciliar a promoção do legado da família com as atividades de mães.
Em dezembro: Mandela recebe alta de hospital após 18 dias de internação
Em entrevistas essa semana, elas dizem que seu avô, de 94 anos, está se sentindo bem após os problemas de saúde que enfrentou recentemente . Elas afirmam que ele está "feliz e saudável" e mostram uma foto tirada no início do mês, que mostra Mandela com seu bisneto mais novo - o filho de 1 ano de Zaziwe - em seu colo.

O Nobel da Paz, que liderou a luta contra o apartheid passou quase três semanas no hospital em dezembro de 2012, passando por tratamentos para uma infecção no pulmão e para cálculos biliares.
 

Respeito
Swati e Zaziwe são filhas de Zenani Mandela e do príncipe Thumbumuzi Dlamini, da Suazilândia. A avó delas é a ex-mulher de Mandela, Winnie Madikizela-Mandela, que também aparece na série de TV.
O programa alterna entre os desafios da vida em família, como lidar com os filhos pequenos, com o trabalho que as duas mulheres fazem para manter o legado do nome Mandela. Elas fazem uma visita à prisão da Ilha Robben, onde Nelson Mandela passou 18 dos 27 anos em que ficou preso pelo regime do apartheid.

 
 
As netas também são vistas - juntamente com seus dois irmãos - lançando uma linha de roupas chamada Long Walk to Freedom ("Longo Caminho para a Liberdade", em tradução livre), que é também o título da autobiografia do patriarca.
As duas mulheres, que passaram a maior parte da infância em exílio nos Estados Unidos, insistem que o programa não prejudicará o nome da família. "Nos perguntam isso o tempo todo. Será que isso não vai manchar o nome e ser ruim para o nome?", disse Swati em uma entrevista para a agência de notícias Associated Press. "Mas nossos avós sempre disseram para nós que esse também é o nosso nome e que podemos fazer o que achamos ser melhor com o nome, contanto que o tratemos com respeito e integridade."


Mandela foi o primeiro presidente negro da África do Sul, entre 1994 e 1999, e é tido por muitos como o pai da nação. Sua saúde tem sido motivo de preocupação por muitos anos. Ele contraiu tuberculose nos anos 1980 quando estava preso na Ilha Robben e já foi internado em três ocasiões nos últimos dois anos. Ele se retirou da vida pública em 2004 e é raramente visto em público desde então. Ser Mandela será exibido para o público americano a partir deste domingo pela COZI TV, um canal filiado à NBC.


 
tags: africa do sul, mandela, apartheid, racismo, racial, preconceito

Povoado de Walachai no Rio Grande do Sul

Walachai é um povoado do município de Morro Reuter, no estado do Rio Grande do Sul.
Foi fundado pelo imigrante Mathias Mombach, proveniente de Echternach, em Luxemburgo. Mathias era guarda pessoal de Napoleão Bonaparte, um dos motivos pelo qual ganhou do imperador a Cruz de Ferro, maior condecoração que um soldado poderia receber em sua época. Mathias lutou na Rússia e na batalha de Waterloo. Após a derrota de Napoleão, veio para o Brasil com sua esposa e seus filhos, ajudando junto com Dr. Daniel Hillebrand a proteger a cidade de Dois Irmãos contra os revolucionários a favor da Revolução Farroupilha.
Mathias também defendeu a comunidade de Walachei dos constantes ataques dos bugres, motivo pelo qual foi apelidado de "general" pelos moradores da localidade.
Faleceu aos 93 anos deixando uma numerosa descendência no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.



Assista ao vídeo de Wallachai no link do youtube aí abaixo:
 http://www.youtube.com/watch?v=SCtbvwALUig

Patrimônio histórico

igreja católica da localidade foi lamentavelmente danificada, sendo demolido o prédio original, e reconstruído em forma de imitação histórica ampliada, no início de 2009. A torre é posterior ao corpo original da igreja, teria sido construída em 1962,segundo inscrição no próprio prédio, e foi preservada durante a reforma.
No local existe um cemitério católico e um protestante de confissão luterana, onde é possível encontrar lápides dos descendentes dos primeiros colonizadores, esculpidas em pedra grês.
Também é possível encontrar algumas casas construídas em técnica enxaimel, embora não estejam protegidas pelo poder público.


















tags: alemão, descendente de alemão, descendentes de europeus, globalização, colonia alemã, alemã, colonização

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

As 7 mortes mais bizarras do rock mundial










 


Lista clássica e relembrar algumas das mortes mais esquisitas de astros do rock. Não incluímos aqui as mortes que ainda não foram esclarecidas. Veja se você concorda com a classificação.



7º Billy Murcia, do New York Dolls, 1972
 


O baterista do New York Dolls morreu sufocado com café quente quando sua namorada tentava reanimá-lo de uma intoxicação braba por álcool e vários tipos de drogas. Isso aconteceu durante a primeira tour da banda pela Inglaterra, quando ele tinha só 21 anos.

 6º Clarence White, Byrds, 1973


O guitarrista dos Byrds foi atropelado por um caminhão dirigido por um motorista bêbado. Dois anos antes, a banda havia lançado a música Truck Store Driving Man, satirizando os caminhoneiros.


John Bonham, Led Zeppelin, 1980

O baterista do Led Zeppelin morreu sufocado pelo próprio vômito após beber o equivalente a 40 copos de suco de laranja – com muita vodca.


4º Keith Relf, Yardbirds, 1976


O ex-vocalista do Yardbirds e fundador do Renaissance sofreu uma descarga elétrica quando tocava guitarra dentro de uma banheira cheia de água. Foi encontrado pelo filho com os fones de ouvido na cabeça.



3º Johnny Ace, 1954

O cantor de rhythm and blues morreu brincando de roleta russa nos bastidores de um show. Segundo os membros da sua banda, ele estava bêbado e foi advertido contra brincar com a arma, mas teria dito: “Tudo bem! A arma não está carregada, viu?”. Então ele disparou e morreu imediatamente.



Ricky Nelson, 1985


O rival de Elvis Presley, sucesso nas décadas de 1960 e 1970, explodiu o avião que pilotava ao acender um “freebase” (cigarro de maconha e cocaína).


Michael Hutchence, INXS, 1997


Segundo relatório oficial, o vocalista da banda INXS se suicidou por asfixia com um cinto em um quarto de hotel em Sydney. Mas segundo sua ex, ele curtia sentir falta de ar durante o sexo e, no dia da sua morte, teria tentado masturbar-se enquanto se sufocava – mas levou a coisa longe demais. Foram encontrados cocaína, álcool, Prozac e outros medicamentos em sua corrente sanguínea.



 fonte: superinteressante

Tags: | |