domingo, 5 de julho de 2015

Tudo Sobre A História da Vida de Bob Marley


Bob Marley - A história do Rei !


MUSEU BOB MARLEY


















No dia ,11 de maio de 2011, foi celebrado no mundo inteiro um tributo pelos 30 anos da passagem do mito do reggae Bob Marley,que voou para Zion em 11 de maio de 1981..
O Museu Bob Marley é um museu em Kingston, Jamaica, dedicado ao músico de reggae Bob Marley. Localiza-se no número 56 da Hope Road, Kingston 6, e é a antiga residência do cantor. Foi também a sede da gravadora Tuff Gong, fundada pelo grupo de Marley, The Wailers, em 1970. Foi nesta casa que, em 1976, ocorreu uma tentativa frustrada de assassinato a Bob Marley..
A estrutura da casa tem dois andares,o mais baixo é de alvenaria e a parte superior da madeira. A planta original do edifício era basicamente retangular, com um portiere do projeto do edifício que tem um quarto acima e um ´carport´ abaixo. Acima da parcela principal do edifício está um telhado derrubado com um segmento acoplado do frontão que cobre o pórtico. A casa é original e ainda manifesta muitas das características do período, tais como os moldes largos, o corrimão de madeira feito á mão da escada, o trabalho da estrutura por toda parte, com a entrada e as janelas com as formas arqueadas originais. Os quartos dos empregados estão situados na parte traseira do edifício. O museu abriga recordações do cantor do reggae e estrela mundial,o legendário Bob Marley. A música da reggae é identificável com a cultura da Jamaica e internacional, e o museu fornecem um relance neste aspecto da sua cultura musical.
Já na entrada,as paredes do muro externos e internos são decoradas com bonitas pinturas de Marley,e a entrada é feita através de um bonito portão de ferro,decorado com leões e a fotografia de Bob..
O passeio pelo interior da casa de Bob Marley mostra que alguns dos quartos estão exatamente como quando ele morava ali, e alguns quartos estão cheios com memorabilia,roupas usadas pelo astro,fotografias do artista e sua banda,prêmios, tem todos seus registros quase todos em platina..
O quarto e cozinha estão exatamente como quando ele morava ali, que dão uma interessante noção da vida cotidiana de Marley. O quarto no segundo andar abriga um solário,local favorito de Bob para meditação,e que possui uma vista previlegiada de Kingston,e decorado com um painel de Haile Selassie I,pintado pelo artista plástico Neville Garrick,o mesmo que fazia as capas dos discos de Bob,projetou uma adição nova ao Museu Bob Marley, e serviu como o diretor executivo da fundação de Bob Marley até 1996..
Há outras pinturas de Garrick espalhadas pelo museu,e nos muros..
Numa das paredes externas,pode se ver que os buracos de bala ainda estão nas paredes,numa tentativa de assassinato contra Bob.
O museu é situado no local da casa do músico legendário,que comprou em 1975 de Chris Blackwell,antigo dono da gravadora Island. Esta casa, caracterizando a arquitetura do século 19, foi o repouso de Marley até sua morte em 1981. Foi convertida em um museu cinco anos mais tarde por sua esposa, Sra. Rita Marley,e fundado em 11 de maio de 1986,data de 5 anos de falecimento do astro.O museu principal indica tesouros pessoais de Marley.Na propriedade igualmente caracteriza um teatro bem equipado de 80 assentos, uma galeria fotográfica, e uma loja de presentes que vende camisetas, posters discos de vinil e Cds e outras recordações de Bob Marley, assim como artigos da Jamaica.Também uma réplica da primeira loja de Bob,a Tuff Gong Records pode ser admirada.O estúdio original onde Bob gravou muitas de suas canções estava localizado ali. O visitante pode igualmente agradar seu paladar com refeições deliciosas no Legend Cafe..
Também no pátio os visitantes podem apreciar diversas pinturas e fotografias feitas nos muros de Bob Marley com Rita, filhos,Haile Selassie I,uma estátua de bronze retratando o artista com sua guitarra e o antigo jipe Land Rover de 1976 pertencente á Bob Marley,até certo modo bem conservado..
O pátio igualmente contém um pequeno herbanário onde Bob e Rita cultivavam as suas hortaliças e pés de frutas.
No final,os visitantes são convidados a assistir um curto video relacionado á vida de Bob,nesse pequeno cinema instalado no interior..
Bob Marley recebia muitas visitas ilustres na casa quando morava lá,além de seus amigos íntimos como Bunny Wailer e os companheiros dos Wailers e outros artistas do reggae,também visitavam Bob muitos artistas internacionais como os Jackson 5 e Michael Jackson e até políticos como o então primeiro ministro Michael Manley..
Marley também costumava praticar esportes como futebol ou ping-pong na casa com os amigos,ou simplesmente trocar a boa palavra e desfrutar das boas vibrações da ganja..
A maioria dos músicos jamaicanos atualmente visitam o museu de Bob Marley para ganhar a inspiração,ou simplesmente para fumar a ganja e trocar a boa palavra, ou então para comer e beber o chá no Legend Cafe.
Bob Marley, o místico natural da Jamaica provou ser o artista musical jamaicano mais significativo do século..
A música reggae é identificável com a cultura da Jamaica e internacional, e o museu fornece um relance neste aspecto da cultura musical jamaicana...




TRENCH TOWN CULTURE YARD



















A Trench Town Culture Yard é situada nas ruas 6 e 8 na Lower First Street em Trench Town,Kingston,Jamaica.Culture Yard,é uma propriedade pequena de aproximadamente oito casas situadas profundamente no coração de Trench Town, onde Marley passou seus anos adolescentes com sua mãe. Notório para a violência política durante os anos setenta,esse grupo de casas foi uma vez uma habitação social exemplar, esquecidas por muito tempo nas ruínas. Agora, com a ajuda do financiamento doméstico e extrangeiro, há planos de regeneração para transformá-lo em um centro cultural. Esta é Kingston real, que os visitantes amam porque podem interagir com as pessoas. Sem se preocupar sobre sua reputação,os habitantes insistem em dizer aos visitantes que agora é segura.Mas diferença entre Trench Town e o monte da baixa da morango é relevante. As ruas são empoeiradas e quase abandonadas, e muitos edifícios igualmente abandonados. Na Culture Yard, o ar é geralmente grosso, com as emanações doces e pungentes da ganja,com os homens rastas sentados em torno de um gigante chalice sendo passado ao redor.Culture Yard foram uma de muitas casas que foram construídas pela Central Housing Authority entre 1940 e 1949. Estas casas foram construídas em 200 acres de terra que eram conhecidas como Trench Pen. Foi subdividida para facilitar uma comunidade residencial a ser chamada Trench Town. Estas casas do governo foram ocupadas pelos inquilinos que pagavam doze xelins por mês logo após serem ocupadas. Estas residências ou jardas do governo como foram chamadas mais tarde foram construídas primeiramente na sétima rua, entre as estradas centrais e ocidentais. Estas jardas do governo forneciam a água corrente, a eletricidade e as outras facilidades que estava disponível naquele tempo. As casas que foram construídas pela Central Housing Authority eram de quatro tipos diferentes. Estes eram denominados de T', S',H' e U'. Estes modelos foram projetados para facilitar e promover a vida em comunidade. Os blocos U eram de uma ou duas moradias com quarto,sanitário comunal e cozinha comunitária. Cada quarto era de 10' x 10' , o acesso a que era ganho por uma varanda longa que funcionava o comprimento inteiro do edifício e era igualmente comunal. Os quartos do S eram originais às jardas do governo. Estes deviam ser encontrados sómente no bloco entre as primeiras e segundas ruas. Estas unidades foram aglomeradas nos grupos de três com um pátio para atividades comunais e sociais. Cada bloco de dois andares foi composto de dois quartos postados horizontalmente,cada um com sua própria cozinha e compartilhando as facilidades da toalete. A jarda da cultura A que servia como uma das jardas da comunidade era uma parte do bloco U. Foi nesta jarda que o dirigente da comunidade, Vincent ´Tata´ Ford viveu. Bob Marley, indiscutívelmente o residente mais conhecido de Trench Town também viveu aqui,assim como seus companheiros Peter Tosh e Bunny Wailer. Ao viver aqui Bob Marley foi ensinado como tocar a guitarra por Vincent ´´Tata´´ Ford e por Joe Higgs,seu professor de canto,também residente em Trench Town.Foi aqui que a famosa canção No Woman,No Cry foi escrita por Bob Marley e por Vincent ´Tata´ Ford, que recordaram suas experiências de viver na jarda. Bob Marley igualmente recordaria na canção ´´Natty Dread´´ seus muitos desengates da primeira á sétima rua. Foi ao viver no número 6 e 8 da First Street que o grupo The Wailers foi dado forma e o primeiro álbum de Bob Marley and the Wailers ´Catch a Fire´ foi gravado. A Trench Town Culture Yard hospeda hoje uma loja de lembranças e um pequeno museu que contém os artigos, os instrumentos e o equipamento usados por Bob Marley.
O quarto onde Marley viveu na First Street e a carcaça da camionete Volks Wagen possuiu uma vez para tranportar os The Wailers ainda estão lá,assim como a antiga estátua de Marley de gesso que antigamente decorava o Museu Bob Marley na Hope Road,que foi substituída no local por uma de bronze.
O local em Trench Town abriga agora um pequeno Museu de Marley que seria o centro da atração principal. Em um canto do pátio está a carcaça da camionete,agora excedente com plantas de marijuana, e no outro a estátua do grande homem. O quarto minúsculo em que Marley viveu uma vez (terceira foto) foi dobrado dentro do canto, contendo uma única cama e um fogão, mas pouco mais. A cama, entretanto, teve história. De acordo com sua esposa, Rita Marley, foi onde fizeram primeiramente amor quando adolescentes...
Em outros quartos se encontram quadros com fotografias,colagens,artigos de jornais e o velho violão que Bob deu seus primeiros acordes..
Os visitantes são informados sobre os artigos do Museu por guias como os ´rastas guides´ Stone Man (foto 5) e Benji..
Trench Town é situada na divisão de polícia sul de St Andrew, uma das mais violentas da Jamaica..
Marley,mesmo depois de muito famoso permaneceu amigo próximo com seus irmãos de Trench Town. Incluía Georgie (quem pagou tributo em No,Woman,No Cry),Vincent ' Tata' Ford e Alvin ´Seeco´ Patterson que tocou a percussão com os Wailers. Marley mudou-se depois com sua família para a comunidade de Rastafari de Bull Bay, depois que saiu de Trench Town. Os Wailers foram um dos diversos grupos vocais originários de Trench Town para fazer uma marca musical. Outro incluem The Heptones,Abyssinians e The Wailing Souls.
Há alguns planos para recondicionar e restaurar os edifícios nesta posição a sua glória anterior e para fazer-lhes verdadeiramente um destino de turismo importante. A Trench Town Culture Yard foi designada pelo governo jamaicano como herança nacional protegida em 10 de maio de 2007...



MAUSOLÉU DE BOB MARLEY




















Estou postando essas matérias sobre o Bob Marley em tributo aos 30 anos da passagem do super astro do reggae,falecido em 11 de maio de 1981..
Conduzindo acima da costa norte jamaicana, a estreita estrada com a paisagem verde de St. Ann mostra o quanto bonito o interior de Jamaica é realmente.Colinas,morros,vegetação densa,paisagens alcançando às vezes um ponto onde as vistas humanas não alcançam. Depois de cruzar cidades pequenas, vibrantes com mercados,o visitante sabe quando realmente chegou quando avista a escola de Cedella Marley ao lado direito da estrada. As cercas são pintadas todas em cores Rasta: verde, amarelo, e vermelho.
Rhoden Hall em Nine Miles, a aldeola onde o mausoléu de Bob Marley é encontrado, está situado há uma hora e meia longe de Ocho Rios. Pode parecer como um longo passeio, mas é bom valor, especialmente se você é um admirador da música reggae ou de Bob Marley como um artista, cantor e músico. Funciona serviços de autocarros de Zion entre Ocho Rios e Nine Miles, que oferecem o transporte disponível e confortável para o lugar. Os ônibus de Zion (Zion Buses) a Nine Miles frequentemente são pintados em cores rilhantes,verde,amarelo e vermelho, com os posters de Bob Marley decorando o interior, e tocam a música de Bob Marley para os visitantes irem se acostumando ao local. Você igualmente tem uma opção de alugar sua própria condução em Nine Mile em seu próprio ritmo. Estacionar em Nine Mile é limitado, embora.
De uma ou outra maneira, visitando Nine Mile e o mausoléu de Bob Marley é provável transformar-se no destaque de sua estadia na Jamaica.Começando por Ocho Rios e suas estâncias turísticas que irão introduzi-lo á Jamaica real. Há muitas crianças jamaicanas ao redor de Nine Mile que pedem dólares aos turistas, mas moedas de quarto de dólar já os fazem felizes. Esta é Jamaica real e estas coisas são parte dela, não é igualmente incomum ver outros locais adultos pedindo dinheiro.
A excursão é acompanhada de muito canto e é garantido que vai deixar os visitantes incrédulos. O edifício com a sepultura de Bob Marley em cores Rasta sobre o qual se vê não apenas os jardins com plantas de café e árvores de fruta onde o vegetariano Bob Marley usava para escolher as mais interessantes, mas chama a atenção um pedaço de terra com todos os tipos de plantas da marijuana ou ganja.
O famoso guia.um rastafari muito engraçado e autêntico conhecido como ´´Captain Crazy´´ sabe o que está falando,ele canta canções aleatórias,conta as histórias de Bob Marley e está sempre rindo e degustando um grosso spliff,uma pessoa bastante simpática.Captain e os outros guias podem nomear todas as plantas diferentes de ganja,como devem ser tratadas, como crescem, e quais são as melhores de acordo com ele. Algumas das plantas foram doadas por cultivadores em torno do mundo. De acordo com o guia, esta era uma fonte principal de ganja também para o rei do reggae..
De volta ao centro de Bob Marley, onde um outro guia Rasta assume o posto. Mostra o lugar onde Bob Marley nasceu, a casa de campo de pedra simples de dois-quartos, em que viveu quando criança antes de se transportar à Trench Town em Kingston com sua mãe, depois que seu pai britânico morreu;num movimento que o trouxe no toque com a música e o conduziu finalmente a sua carreira musical.É mostrado seu repouso de infância, uma casa de campo com dois quartos que contém objetos pertencentes á família de Bob Marley.Antes que o visitante entra na casa de campo, são pedidos para retirar seus sapatos. As paredes do pequeno quarto são cobertas com as mensagens dirigidas a Bob Marley pelos seus admiradores em torno do mundo.
O guia permite fotos na cama para os turistas para um instantâneo, antes que o guia Captain Crazy transporte os visitantes sobre ao pátio pequeno onde o descanso de rocha está situado, pintado inevitávelmente em verde,amarelo e vermelho.
Usado para a inspiração de Bob, o descanso de rocha é mencionado igualmente em sua canção Talkin Blues.Captain Crazy,com seu grosso spliff deita a cabeça sobre a rocha e medita palavras rasta,e canta trechos dessa canção de Bob sob o olhar curioso dos visitantes.
Em seguida é mostrado então o túmulo de sua mãe Cedella Booker Marley,que morreu em 2008 aos 81 anos, e do seu meio-irmão Anthony Booker,assassinado quando tinha 18 anos pela polícia em Miami..
Então, é hora de visitar o lugar onde o rei da reggae está descansando. As fotografias não são permitidas no interior. Um lugar calmo, uma mistura estranha de sensações: fisicamente, está inoperante, mas por outro lado sua sepultura vibra de algum modo a vida.O guia cumprimenta o rei do reggae e saúda-o.Bob Marley descansa em um túmulo situado ha 6 pés acima da terra,e seu corpo está embalsamado. Alguém que comprou o ganja para si mesmo, decide deixá-lo para Bob ´desfrutar´ o fumo de Jah..
Andando em torno de seu túmulo, é surpreendente como o mestre da reggae ainda inspira o carisma e o respeito, e ás vezes pode se ter a impressão de escutar suas respirações vindas de seu caixão...
Há no local também um restaurante vegetariano e uma pequena loja de presentes que vende recordações da Jamaica e de Bob Marley...
E também um amplo espaço que abriga um bar onde passam filmes de reggae e outros em uma tela de plasma,e as paredes são decoradas com fotos de Bob Marley & The Wailers e os discos de platina ganhos pelo artista em sua curta,porém intensa carreira..
Fumar a ganja é legal dentro das portas do Mausoléu Bob Marley em Nine Mile. De fato, não somente é legal,e a todos é esperado ter algum. Se a pessoa for um pai, pode querer reconsiderar tomar uma excursão,especialmente se estiver com crianças. Similarmente, se você não é um fumador da ganja e a ofende dentro desses domínios, pode ser convidado a se retirar do mausoléu de Bob Marley. Os visitantes do mausoléu de Bob Marley devem estar cientes de alguns costumes que cercam perto das terras sagradas de Nine Mile. Estão livre para fumar a ganja dentro do mausoléu de Bob Marley, mas os turistas tem que retirar seus sapatos. O mausoléu de Bob Marley é um lugar sagrado para muitos Rastafaris,e tirar os sapatos é um sinal do respeito e não deve ser discutido. Não é permitido tirar retratos dentro do mausoléu. O túmulo de Bob Marley é colocado em tal ponto,que o sol consegue brilhar nele através de uma estrela de David de vidro pintada na janela,é realmente excitante...






MAKEDA JAHNESTA MARLEY




Makeda Jahnesta Marley, nasceu em 30 de maio de 1981,e é filha de Bob Marley e Yvette Crichton.
Yvette é a última mulher com quem Bob é reconhecido oficialmente para gerar uma criança.
Fora de sua união oficial,nasceu Makeda Jahnesta Marley em 1981,a filha caçula de Bob.
Em 1992, Makeda era uma visita regular na casa de Rita Marley, e mais tarde se assentaria bem como um dos beneficiários do espólio de Bob Marley..
Recentemente Makeda admitiu plantar a marijuana em sua casa na área de Filadélfia. A notícia local diária de Chester ocidental relata que Makeda Jahnesta ,29 anos de idade, foi culpada por ter plantas, quase uma dúzia de pés grandes de marijuana dentro de sua casa, ao oeste da Filadélfia. Marley esteve presa em 2008, depois que a polícia diz ter encontrado e removido as plantas do seu porão, quando os oficiais chegaram em uma chamada da disputa doméstica. Em uma audição de fevereiro, Marley disse a corte que tinha esgotado um fundo quando recebeu a propriedade de seu pai quando fez 18 anos.A sentença era programada para outubro,disse o advogado de Marley,Thomas Schindler..
Makeda Jahnesta Marley escolheu a opção da prisão preventiva e poderá passar os próximos sete anos nela. Agora Makeda Jahnesta Marley tem que realizar testes aleatórios da droga e permanecer longe dos consumidores de droga se quizer permanecer fora da cadeia...
Makeda, que é garçonete em Swest Chester, na Pensivânia, nos Estados Unidos, disse que o dinheiro deixado pelo pai acabou e se declarou culpada das acusações de uso e plantio de marijuana em casa. A declaração foi dada em depoimento, mas o processo rola há dois anos, desde quando a polícia recebeu um chamado para checar uma briga na casa de Makeda, e encontrou 12 pés de maconha no porão da casa.
Por assumir a culpa, a moça terá a pena reduzida. A promotoria retirou o pedido de um ano de prisão obrigatória devido à quantidade do produto. Mas ela ainda pode pegar até nove meses de prisão. O anúncio da pena seria feito em outubro do ano passado...




CEDELLA MARLEY




A vida de Cedella Marley foi sempre enraizada na música e na cultura. Crescendo nos montes de Jamaica e excursionando o mundo como uma Melody Maker, Cedella teve o melhor de ambos os mundos - " um pouco country e um pouco rock-n-roll".. Como a primeira criança legítima da legenda Bob Marley com Rita Marley, Cedella testemunhou a história na fatura,e seu nome foi uma homenagem a mãe de Bob,Cedella Marley Booker,sua avó.Cedella combina continuamente suas influências vastas das pessoas, lugares, culturas e música, compartilhando com todo o mundo os seus esforços criativos. Atualmente vivendo em Miami, Cedella leva sua vida como a cabeça da Tuff Gong International, uma ex membro dos quatro Melody Makers originais, e uma mae de tempo completo de três crianças. Com dois Grammy e os oito álbuns aclamados na sua carreira, os Melody Makers excursionavam internacionalmente e executavam em numerosas mostras de tevê. Ela é a cabeça da etiqueta de gravação dada forma originalmente por seu pai,Tuff Gong,assim Cedella desenvolveu as habilidades afiadas do negócio. É uma executora natural e recebeu a aclamação da crítica por seu trabalho artístico no ecrã com Gina Gershon e Joey Breaker. Em cada aspecto de sua vida, seja executando, controlando uma companhia ou em casa, a proteção de Cedella com as honras,legado e estilo de pai é grande. É um desafio que encontra com determinação,auto-confiança e energia. Cedella aproveitou-se sua energia creativa para desenvolver uma coleção roupas de mulheres personalizadas, nomeada apropriadamente de Catch A Fire, o título do primeiro álbum do seu pai.. Com este projeto, Cedella pretende mais uma vez a manter a memória de seu pai,e manter vivas suas mensagens, e compartilhar com o mundo de seu próprio destinto..




KAREN MARLEY




Karen Marley, segunda filha de Bob Marley,nasceu em Inglaterra em 1973,filha de Bob Marley e Janet (não a mãe de Rohan Marley,outra) mas cresceu na Jamaica. Karen teve sempre uma paixão para a forma e o projetos de interior, influenciada pela sua avó na Jamaica. Ao crescer, Karen preveria sempre maneiras de projetar e decorar a casa movendo a mobília ao redor e adicionar as características para a casa ou para o banheiro. Tinha somente 6 anos naquele tempo, assim ela não tinha tomado seriamente e preferivelmente,e foi emitida para fora para estudar. Após ter se graduado na High School na Jamaica, Karen foi ao Canadá estudar o projeto interior. O nascimento de seu filho, Jody-Nesta, trouxe Karen a de volta a Jamaica, onde abriu então seus próprios negócio e uma loja de projeto interior. Em 1996 Karen mudou-se de volta a Londres, e decidiu fazer uma adição a sua carreira, onde atendeu à academia de Vidal Sassoon e se transformou numa estilista de cabelo. Quando em Londres, Karen comprou sua primeira propriedade de investimento, e começou logo no mercado, desenvolvendo suas propriedades. A oportunidade de expressar suas ambas paixões é que trouxe Karen agora a Los Angeles, onde trabalha agora como uma desenhista assistente para a Catch a Fire Clothing e Tuff Gong Clothing,, assim como uma colaboradora da propriedade...




SHARON MARLEY PRENDERGAST





Nascida em 23 de Novembro de 1964, na ensolarada ilha da Jamaica,Sharon Marley Prendergast nasceu do fruto do relacionamento de Rita Marley e outro homem,e mais tarde foi adotada por Bob Marley..
Tinha poucos anos de idade quando Bob e Rita casaram, e Sharon estava no casamento, no princípio desta dinastia. Ela diz isso toda orgulhosa e mostra as fotos para todos..Sharon, a mais velha, foi concebida com um homem anônimo quando Rita tinha sómente 17 anos de idade. Após ter entrado na vida de Sharon quando ela tinha sómente oito meses, Bob a adotou.Sharon gastou mais de 25 anos excursionando através do mundo com Ziggy Marley & The Melody Makers,espalhando vibrações positivas,e criando suas próprias quatro crianças,os filhos Donisha, Ingemar, Matthew e Peter-Shane. Se juntou aos Melody Makers e isso veio como uma surpresa para ela, ela era muito tímida e a primeira vez que foi realmente num show com eles gritou como um bebê. Estes seriam os melhores anos de trabalho e os mais duros de sua vida. Junto com seus irmãos e irmãs, Sharon ganhou quatro Grammy, concessões de NAACP, registros de platina e ouro, e foi nomeada embaixadora da juventude para a paz em 1992 (United Nations Youth Ambassadors for Peace). Sharon é muito uma Melody Makers. Como parte de sua faculdade criadora musical ajudou com produção dos novos talentos na Jamaica, assim como co-dirigiu alguns vídeos de Ziggy Marley & The Melody Makers que incluem "Headtop", "Hand to Mouth", "Small People" e "Rebel in Disguise". Seu amor para a música se espalha durante todo seu estilo de vida. Ela fala para suas crianças com as citações das canções diferentes.Usou suas habilidades de gerência para atuar como curadora para o Museu de Bob Marley na Hope Road,56 (Bob Marley Museum) quando abriu primeiramente em 1986. Estar no museu era naquele tempo uma responsabilidade muito grande para ela, teve que aprender a suprimir seus rasgos quando as pessoas faziam perguntas diferentes sobre Bob Marley, e o que eles faziam lá quando crianças. Sharon igualmente ajudou com fundar e a operar o fã clube do Ziggy Marley & The Melody Makers e a etiqueta Ghetto Youths United, que era operada então fora do complexo do estúdio da família em Marcus Garvey Drive .Agora uma especialista certificada da infância, atualmente Sharon passa seu tempo importando-se em educar as crianças de Jamaica através do centro do treinamento e guarda Montessori, assim como a ajuda do irmão Ziggy Marley com seu programa da adoção da escola de U.R.G.E. Sendo a mais velha, Sharon teve que naturalmente tomar conta de seus irmãos mais novos, ela realmente ama trabalhar com crianças. Ela sempre foi uma advogada para o cuidado apropriado das crianças carentes pelo mundo inteiro. Assim é como Sharon gosta de continuar o legado de sua família..



STEPHANIE MARLEY




Stephanie Marley nasceu em Kingston, Jamaica,em 17 de agosto, compartilhando de seu aniversário com o primeiro herói nacional da Jamaica e um líder de encontro à opressão, Marcus Mosiah Garvey.É filha de Rita Marley com outro homem,mas foi adotada por Bob Marley. Foi educada na Jamaica em seus anos preliminares e secundários.Depois foi á Londres, Inglaterra onde terminou com sucesso seus estudos sociais e em psicologia. Stephanie terminou seus estudos em psicologia, na University of Western Ontario, Canadá na idade de 21 anos. Alcançou seu bacharelado no grau das como uma estudante de honra. Durante seus três anos na Canadá, ofereceu-se em uma escola local para ensinar para crianças desafiadas. Lá desenvolveu seu conhecimento na instrução da infância,e uma piedade para crianças com necessidades especiais. Após completar seus estudos, Stephanie retornou para casa na Jamaica e imergiu no negócio da família da música e do entretenimento. Pelos próximos três anos dedicou seu tempo como diretora de controle da Bob Marley Foundation, Bob Marley Museum, Tuff Gong International, Tuff Gong Recording, URGE e Rita Marley Foundation.. Reside atualmente em Nassau, Bahamas onde está vigiando a construção e o desenvolvimento do projeto do resort da família Marley Resort & Spa, do recurso de Marley; Termas, É igualmente instrumental em dar forma a entidade relativa à promoção do concerto,Tuff Gong Productions. Em março de 2004 Stephanie e sua equipe encenaram o concerto anual Reggae All-Star Concert em Nassau. Como uma mãe de quatro meninos energéticos, Stephanie continua a mostrar uma educação espiritual e contínua, realçada com morais e valores tradicionais é a fundação para ser um modelo exemplar.Um de seus filhos Leo,assim como sua mãe Stephanie, é indubitàvelmente um humanitário...



ROBBIE MARLEY




Robert Nesta Marley Jr. foi uma de três crianças a ser geradas por Bob Marley nascida em 1972..
" Robbie" , nasceu em 16 de maio de 1972,fruto do relacionamento de Bob com Pat Willians .
Pouco é publicado sobre Robbie Marley, que permaneceu firme fora do centro das atenções.
Robbie também continuou a legacia de Bob funcionando a companhia de roupas do grupo Tuff Gong,junto com seu outro irmão,Rohan Marley..
Segundo Robbie, ser filho de um dos seres humanos mais famosos a andar no planeta não o oprime,e ele leva uma vida normal..
Quando Bob faleceu em 1981,Rohan tinha apenas 9 anos,e não chegou a conviver muito com o pai famoso..
Recentemente,durante a copa do mundo no continente africano Ziggy, Rohan e Robbie Marley voaram para a África do Sul, para começar o trabalho em uma série documentário que seguisse através da África do Sul para uma viagem pelas estradas em momentos decisivos.A Marley Africa Roadtrip fornecerá visores e um olhar intrigante em uma das famílias musicais das mais legendárias. Usaram para a viagem um automóvel batizado de ´´Reggae Land Cruiser´´,e várias motos..
Aliás Robbie também gosta muito de motocicletas e de fazer acrobacias sobre as motos..
Robbie Marley é uma estrela real das motos, trabalhando como um ´´Stunt Rider´´ em diversas produções principais..



ROHAN MARLEY




Rohan Anthony Marley nasceu em 19 de maio de 1972. É filho do lendário artista do reggae Bob Marley e de Janet Hunt.Se graduou em 1991 Miami Palmetto Senior High School, jogou o futebol americano para a equipe de futebol da Universidade de Miami, onde jogou ao lado dos jogadores como Dwayne Johnson e Ray Lewis. Em 1993 conduziu os Hurricanes com 95 equipamentos. Jogou o futebol profissional no Canadá para os agora extintos Ottawa Rough Riders. É o co-fundador da linha de roupas Tuff Gong Clothing Line. Em 2007, co-fundou a Marley Coffee, uma plantação de café orgânica e um negócio de cultivo sustentável nas Blue Mountains na Jamaica.Rohan também aparece no filme documentário Motherland. Na faculdade Marley casou com sua amiga Geraldine Khawly. Juntos têm a filha Eden e o filho Nicolas Marley. Depois começou um relacionamento com a cantora Lauryn Hill em 1996.Hill referiu Marley como seu marido, embora o estatuto jurídico de seu relacionamento é desconhecido. De acordo com um artigo de outubro de 2003 na revista Rolling Stone, Marley nunca divorciou-se sua primeira esposa Geraldine Khawly. Com Lauryn Hill tem cinco crianças. Sua quinta criança é uma menina que nasceu em 2008. Lauryn Hill gravou canções com duas de suas crianças com Rohan Marley. " To Zion" em seu primeiro álbum solo de 1998 ´The Miseducation of Lauryn Hill´, e " Selah" caracterizado no soundtrack do filme Divine Secrets of the Ya-Ya Sisterhood em 2002..



PEARL LIVINGSTON




  A cantora Claudette Pearl Livingston é filha de Cedella Booker,mãe de Bob Marley e Thaddeus ´Toddy´ Livingston,pai de Bunny Wailer,portanto meia-irmã de ambos (na foto aparece ainda criança com o casal Booker,Cedella e Edward)..
Depois que Bob Marley e Cedella partiram de Nine Miles,foram morar na capital da Jamaica.Em Trench Town em Kingston foi onde viveram Cedella e Toddy juntos, e depois tiveram uma filha fruto desse relacionamento,a Pearl...
O Bunny Wailer e Bob Marley foram criados no mesmo agregado familiar, como irmãos.Então a banda The Wailers era praticamente como uma família.Thaddeus " Toddy" Livingston,o pai de Bunny Wailers viveu com a mãe de Bob Marley,Cedella Booker,e juntos tiveram uma filha nomeada Pearl Livingston..
Pearl nasceu em 1964 em Wilmington, Delaware,nos E.U.A.,para onde a família Marley foi morar.
Pearl era uma viciada em cocaína em recuperação,e tentando ressucitar sua carreira de cantora...




CONSTANCE MARLEY




Bob Marley teve uma meia-irmã (ou a irmã adotiva) da parte do pai,Constance Marley.Seu pai Norval Sinclair Marley, anos depois que sua união com a Cedella por pressões familiares foi anulada, retornou à união do seu primeiro contrato,uma mulher negra chamada Ciddy e teve uma filha, Constance. Não existe praticamente nenhuma informação adicional sobre Constance Marley..
Rita Marley encontrou uma vez uma mulher em uma lavanderia em downtown Kingston.Jamaica.Quando Rita revelou seu nome,a mulher perguntou se Rita foi relacionada com o cantor Bob Marley. Quando Rita respondeu no afirmativo, a mulher revelou que seu nome era Constance Marley, e que seu pai era o mesmo homem que tinha concebido Bob,o capitão Norval Marley..
Mas Bob Marley nunca conseguiu encontrar sua meia-irmã, e sempre foi afligido por isso..




NORVAL SINCLAIR MARLEY




Norval Sinclair Marley (1895? - 1955) era um capitão dos fuzileiros navais reais britânicos. O jamaicano branco tornou-se famoso como o pai do músico do reggae Bob Marley. Norval Marley nasceu em Clarendon na Jamaica, filho de Albert Thomas Marley (1851-1885), um homem inglês de Sussex, e Ellen Broomfield (1854-1952). Viajou a Inglaterra onde se juntou ao exército britânico em 1916 em Liverpool, e se transformou num capitão.Era um oficial e um capitão da marinha respeitado, e também um supervisor da plantação na terra que possuía. Membros da família de Norval Marley, tais como o sobrinho Michael George Marley (filho de Noel, o irmão de Norval) confirma que Norval era um descendente de judeus sírios. Em uma entrevista feita em 2003, Michael George Marley revelou: que sua mãe, avó e o tio, contavam que os Marleys eram judeus sírios que migraram do Oriente Médio a Inglaterra, e então para a Jamaica. Aproximadamente há dez anos ele fez uma pesquisa sobre o sobrenome Marley,que igualmente mostrou que esses dados são verdadeiros.O avô paterno de Bob Marley (Albert) deixou a Jamaica para trabalhar na construção do canal de Panamá. Faleceu em Colono, Panamá, na idade de 34 anos, cerca de um ano após ter chegado. Norval eram muito jovem,e foi emitido mais tarde para a Jamaica onde encontrou Cedella Malcolm que tinha então 18 anos de idade (Cedella Booker)..
Foi esse relacionamento que gerou o nascimento do seu filho Robert Nesta (Bob) Marley,em 6 de fevereiro de 1945,em Nine Miles,Jamaica.Eles se casaram quando Cedella tinha 18 anos e Norval 63,e nenhuma outra criança nasceu deste relacionamento.Norval forneceu o suporte financeiro para suas esposa e criança, mas raramente viu seu filho porque estava ausente para o trabalho frequentemente. O casal se separou após um curto período de tempo. Bob Marley, como o próprio admitiu,nunca veio realmente conhecer seu pai. Bob tinha aproximadamente dez anos de idade quando Norval Marley morreu de um ataque cardíaco em 1955, na idade de 60 anos,na cidade de Kingston,capital da Jamaica..
Bob costumava contar que a única vez que lembra ter visto o pai,esse ofereceu-lhe uma “Willy” penny, uma moeda de cobre antiga considerada como peça de colecionador.A maioria das biografias sobre Norval indica que morreu na idade ao redor de 60 anos,o que significaria que tinha nascido ao redor de 1895. Outras fontes dizem que nasceu por volta de 1881,o que significaria que tinha 74 anos de idade quando seu filho Bob Marley nasceu..
Seu pai faleceu em 1885,o que indica que Norval Marley deve ter sido nascido antes (o que é mais provável), ou sua mãe teve um outro relacionamento com uma pessoa desconhecida, e deu eventualmente o nascimento a Norval Marley em torno de 1895..



OMERIAH MALCOLM




Os avó maternos de Bob Marley eram Omeriah Malcolm (1880s-1964) e Alberta Willoughby (? - 1935). Omeriah “Custos” Malcolm era um próspero fazendeiro, um " doutor do arbusto " (bush doctor) e um dos residentes mais respeitados de Nine Miles,Jamaica.Também foi um magistrado proeminente,um myalman, ou curandeiro, bem como um bem sucedido negociante...
De acordo com o livro de Timothy White ´´Catch a Fire´´,o pai de Omeriah,Robert "Uncle Day" Malcolm era um descendente dos escravos de Cromanty, enviados a Jamaica diretamente da ´Gold Coast´ da África, nos séculos 17 e 18 . A escravidão foi abolida na Jamaica em 1838.Sua mãe era Katherine N..
Numa tragédia familiar, o avô de Bob Marley faleceu em 1964, e assim a maioria da família migrou para aos Estados Unidos da América, e Bob e sua mãe transportaram-se à cidade de Kingston,mais precisamente para os ghettos de Trench Town...
A fundação Omeriah Malcolm Music Foundation, foi fundada por um neto de Cedella Marley, James Malcolm..
Omeriah Malcolm também foi a inspiração para o nome de uma banda do reggae brasileiro,a mineira Omeriah..





BOB MARLEY E O FUTEBOL



































Além de tocar o reggae,o eterno super astro jamaicano Bob Marley gostava muito de jogar futebol, gostava da seleção brasileira e muitas vezes vestia a camisa canarinho. ..
Futebol era o esporte preferido do rei doreggae,qualquer folga na sua carreira musical,e lá estava Bob,arrumando uma partida em qualquer país,ou mesmo uma costumeira brincadeira entre amigos ou com os próprios membros dos The Wailers e também com seus filhos Ziggy e Stephen na sua casa em Hope Road em Kingston,Jamaica,no Central Park em Nova Iorque ou em algum ´´backstage´´nos shows,em qualquer espaço..
Não vou dizer que era um craque,mas Bob tinha mesmo alguma habilidade com a ´redonda´,bom toque de bola,inclusive marcava alguns gols...
Muitos de seus amigos reivindicaram que se Marley não tivesse sido dedicado tanto assim a sua música, poderia a ter feito grande carreira como um jogador de futebol profissional. Como um meio-campista, Marley era rápido e inovativo.Muitos pessoas são surpreendidas quando ouvem que Bob Marley era um jogador e um fanático pelo futebol. Isso não parece caber na sua imagem da estrela mais legendária do reggae do mundo: fumar a marijuana, as batidas preguiçosas da reggae, a atitude descontraída do rastafari e seus dreadlocks,e seu ativismo político.Mas Bob Marley simplesmente amava uma esfera,gostava de jogar sobre cada dia quando na excursão ou no estúdio de gravação,chegando mesmo a gravar na sua Tuff Gong de chuteiras,e igualmente amou prestar atenção ao futebol pela tevê. Sua equipe favorita era o Santos Futebol Clube (Brasil). Seu jogador favorito era Edson Arantes do Nascimento, mundialmente famoso como Pelé, que começou a jogar para o Santos na idade de15 anos.Bob dizia:´´O futebol é o mundo. É um universo de emoções. Amo-o porque desperta em mim sensações únicas. Liberdade e paixão. Para mim o futebol é isso´´ (Bob Marley, 1979)
Não dá para passar pela carreira de Bob Marley falando em futebol sem comentar sobre o amigo de Bob Alan ´´Skill´´ Cole. Nos anos 1970´s Cole foi o maior jogador de futebol da Jamaica. Fora das quatro linhas, Cole integrava uma tropa de choque que atuava pressionando os DJs dos soundsystems de Kingston para tocarem músicas do amigo Bob Marley. Cole também compunha. É co-autor da música ´War´, composta com o baterista Carlton Barrett, dos Wailers, lançada no clássico álbum Rastaman Vibration e também de Natty Dread, composta em parceria com Rita Marley, lançada no álbum de mesmo nome.Alan Cole, centro-avante, estrela do futebol de jamaicano nos anos 70, amigo de Bob Marley e co-autor de alguns clássicos dos Wailers,jogou futebol no Brasil pelo Náutico,de Recife,Pernambuco.
. Mas o seu futebol impressionou mesmo a diretoria do Náutico,com engajamento similar ao que os jamaicanos têm pela filosofia rastafari , quando o time brasileiro excursionou pela Jamaica em novembro de 1971.Pela seleção Jamaicana, Alan “Skill” Cole enfrentou o Santos,com Pelé e Cia.. A Island, gravadora original dos Wailers, era então um selo da Ariola. Bob interrompeu as sessões de gravação que resultariam no álbum Uprising para vir ao Brasil,em 1980. Na descida em Manaus, para reabastecimento, o jato ficou retido por algumas horas. O governo militar certamente não estava vendo com bons olhos a vinda daquela comitiva enfumaçada.Depois de alguma negociação as autoridades acabaram cedendo, mas sem liberar vistos de trabalho, o que desestimulou os que pensaram em improvisar uma apresentação deles em solo brasileiro. Passaram por Brasília e rapidamente decolaram em direção ao Rio de Janeiro, chegando aeroporto Santos Dumont às 18h30m do dia 18 de março, terça-feira.
No dia seguinte, o trio jamaicano chegou às 16h no km 18 da Avenida Sernambetiba (três horas atrasados), num campinho onde o time dos funcionários da Ariola jogavam contra alguns dos contratados da gravadora no Brasil, como Chico Buarque, Toquinho, Alceu Valença e outros. Logo que eles chegaram os times foram rapidamente rearrumados e ficaram assim: Bob Marley, Junior Marvin, Paulo César Caju, Toquinho, Chico e Jacob Miller de um lado; e do outro Alceu Valença, Chicão (músico da banda de Jorge Ben) e mais quatro funcionários da gravadora.
Antes de começar o jogo Bob ganhou uma camisa 10 do Santos e sorriu, dizendo "Pelé". Em seguida, avisou que jogava em qualquer posição. Mas foi mesmo para o ataque e o placar foi de 3 a 0 para o seu time, com gols dele (documentado pela TV), de Chico Buarque e de Paulo César.Caju, que jogou a Copa de 70, foi o mais festejado por Bob, que lhe disse: "Sou fã de seu futebol". Paulo César devolveu: "E eu, de sua música". Bob lembrou o campeonato mundial que marcou a ilha do reggae: ''Rivelino, Jairzinho, Pelé... o Brasil é o meu time. A Jamaica gosta de futebol por causa do Brasil".
Entre as oportunidades que a carreira de jogador de futebol lhe proporcionou, Paulo Cézar destaca as amizades. Ele falou da experiência inédita e da relaçaõ com o ídolo do reggae Bob Marley.
“Um dia eu estava treinando no Vasco, em São Januário, e apareceu a Glória Maria falando que tinha acabado de chegar ao Rio um grande artista do reggae: o Bob Marley”. Paulo Cézar conta que a primeira pergunta que a repórter fez ao músico foi o que ele gostaria de fazer na cidade maravilhosa durante a viagem. “Ele respondeu que queria passar a semana com um de seus ídolos da seleção de 70, o Paulo Cézar Lima. Então, ela me retirou do treino e nós fomos para o Copacabana Palace, que era o hotel em que ele estava hospedado”.
“Foi uma coisa maravilhosa. Ele era uma figura linda. Não tem como não se emocionar” afirmou Caju.
Os jamaicanos deixaram o Brasil no dia seguinte, 20 de março de 1980. Três dias depois, o músico estava jogando futebol no campo da Tuff Gong, em Kingston, quando um amigo chegou informando que Jacob Miller tinha acabado de falecer em um acidente de carro. Marley morreria de câncer em maio de 1981, aos 36 anos.
Mas a paixão de Bob pelo futebol deixou os seus frutos:O ´Bob Marley Soccer Tournament´realiza-se ininterruptamente desde 1981,o ano da morte do músico. Aston Ellis, amigo de infância, é o mentor e o grande entusiasta do projeto.Nenhum torneio de futebol se realiza há tantos anos nos EUA.Todos os anos unimos equipas do Canadá, Trinidad e Tobago, Jamaica e outros países do Caribe sob o nome do Bob Marley. Aston Ellis foi, desde sempre, apaixonado por futebol. Nasceu na Jamaica e radicou-se nos Estados Unidos. A morte do amigo fê-lo pensar na melhor forma de o homenagear. Toda a gente percebe a relevância cultural do Bob Marley, não só nas Américas, mas também no mundo. Ao criar este evento tentei fazer com que todos se divertissem a jogar futebol, a ouvir música e a conviver, sempre com a imagem do Bob na cabeça...
Há relatos ou boatos de que o câncer que matou Bob teria sido causado por uma partida de futebol,que feriu seu pé,e evouliu para o quadro grave,e muitas vezes isso é dito como verdade;eu particularmente acho que foi mais por uma doença genética,o melanoma...
Depois do seu falecimento, Bob levou consigo para o túmulo uma guitarra Gibson Les Paul, uma sacola de marijuana, uma bíblia, um anel e a paixão em forma de bola de futebol.....




AS MULHERES DE BOB MARLEY














O super astro do reggae Bob Marley,ficou internacionalmente conhecido por colecionar discos de platina,mas ele também gostava de colecionar mulheres e teve muitos relacionamentos,que geraram 12 filhos..
Alpharita Constantia Anderson nasceu em Cuba de Leroy Anderson e de Cynthia ´´ Bada´´ Jarrett. Na idade de três meses, Rita Marley(quarta foto,á direita), como ficou conhecida, emigrou para a Jamaica. Juntos, Rita e Bob tiveram cinco crianças: Sharon, Cedella, Ziggy, Stephen e Stephanie. Sharon, a mais velha, foi concebida com um homem anônimo quando Rita tinha sómente 17 anos de idade.Depois, quando tinha sómente oito meses de idade, Bob a adotou. Na idade de 25 anos, se casou e atende pelo nome de Sharon Marley Prendergast. Em 1983 e em 1984, Sharon tomou um tempo fora de seus estudos de faculdade na administração de negócios para ajudar seus irmãos mais novos a gravar os dois primeiros álbuns sob o nome de The Melody Makers. Stephanie Marley pode possivelmente ser a quinta criança de Rita e de Bob. As fontes variam mas o Timothy White escreve que Cedella Booker,mãe de Bob, alegou que a menina não foi gerada por seu filho. Cedella afirma que Stephanie foi gerada por Rita Marley e um homem nomeado Ital. Qualquer verdade que possa realmente existir, Stephanie é realmente reconhecida como a criança de Bob e Rita Marley,e certamente recebeu uma parte de sua propriedade. Yvette Crichton (na primeira foto colorida, com Bob) foi a última mulher com quem o super astro do reggae Bob Marley é reconhecido oficialmente para gerar uma criança.Outro relacionamento fora de sua união oficial com Rita Marley,do fruto desse relacionamento com Yvette nasceu Makeda Jahnesta Marley em 1981. Em 1992, Makeda era uma visita regular na casa de Rita Marley e se assentaria bem mais tarde como um dos beneficiários das propriedades de Marley.
Há confusão completamente freqüente que ocorre em muitos dos locais onde há umas coisas publicadas sobre Bob Marley. E consultado sobre duas mulheres,aparece duas, ambas com nome de Yvette. Essa que está na foto que é Yvette Crichton, mãe de Makeda Jahnesta Marley (pela maneira, Makeda é o nome etíope da rainha de Saba). A outra é Yvette Morris,que foi relacionada com Bob até a data de 1975. Amiga igualmente do jogador de futebol e amigo muito próximo de Bob Alan ´´Skill´´ Cole,Yvette diz que participou em diversas das decisões de Bob em seus negócios. Não é, como quase todas as amantes do astro, muito documentada. Não obstante, se esta última Yvette é mais popular, é pelas gravações que circulam com o nome de “Yvette Tape” ou “Yvette Bedroom Tape”. São gravações de 1976 de Bob Marley sómente com seu violão e entre amigos. Perguntado às vezes sobre isto, Yvette Morris disse que não tem nenhuma memória especial, que Bob estava sempre com seu violão e que deve ter muitas fitas como aquela. A gravação é muito interessante, e reserva mostrar um Marley mais musical, muito diferente de seu circuito de estrela. O músico na casa,as canções podem ser escutadas em momentos que estava trabalhando,e Bob sempre tinha uma canção à disposicão.
Lucy Pounder,uma residente de Barbados, deu o nascimento ao filho de Bob Marley,Julian Marley nascido em Londres em 4 de junho de 1975.Lucy tinha tido uma relação conjugal com Bob em Londres o ano anterior.Criou seu filho lá mesmo em Londres,mas trouxe-o frequentemente para visitar Rita e Bob Marley, na Jamaica e em Miami. Julian gravou sua primeira canção quando tinha cinco anos de idade e se tem estabelecido desde então como um vocalista, baixista,baterista, e tecladiista. Liberou seu primeiro álbum em 1989 chamado ´´Uprising´´ . Após transportar-se para a Jamaica em 1992, Julian liberou outro álbum chamado ´´Lion in the Morning´´, que foi produzido em parte por Stephen Marley e ajudado por Rohan, por Kymani e pelos Melody Makers. Julian excursionou no Japão, Brasil, e no México. Em 1996, foi caracterizado igualmente como parte da " Marley Magic" uma excursão pela América do Norte.....
Janet Dunn era uma dançarina em um clube, Janet encontrou Bob Marley em algum dia nos anos 1970' s. A literatura em suas origens ou em seu primeiro encontro com o rei da reggae é quase inexistente. De fato, há mesmo uma discrepância sobre seu nome. No livro Catch a Fire de Timothy White o autor credita Janet Hunt como a doação do nascimento a Rohan Marley, visto que a árvore de família dos Wailers alista sua mãe como Janet Dunn,o que quer que o caso pode ser, é pouco sabido do caso de Bob com esta mulher. Nascido em maio de 1972 a Janet,Rohan foi trazido mais tarde por Bob permanecer com a Rita na idade de quatro anos porque sua mãe não estava se importando corretamente com ele. Dessa idade em diante, Rohan permaneceu com os Marleys. Atendeu à mesma escola que Ziggy e Stephen mas ao contrário deles era turbulento e incorrigível ao ponto que foi emitido para viver com Cedella Booker em Miami,e Cedella adotou-o eventualmente. Rohan veio começar na universidade a jogar para uma equipe de futebol chamada Miami’s Hurricane . Nos anos 1990, Rohan foi preso com a acusação da tentativa de investir sobre um oficial de polícia de Miami com sua camionete pickup.Casou com a cantora Lauryn Hill,do Fugees..
Em 1970, Bob começou um relacionamento com uma mulher de Trenchtown nomeada Pat Williams, e outra vez as fontes estão confusas enquanto é referida como " Pat" no livro Songs of Freedom,mas referida como " Lucille Williams" no livro Catch a Fire,de Timothy White. Veio conhecer Bob através das estadias na sua casa na 56 Hope Road.. Em uma noite em particular, aproximou-se de Bob despido ao luar. Lá no quintal seduziu-o. Bob foi tão afetado assim pela escapadela que na manhã seguinte escreveu os poemas líricos de "Midnight Ravers" em uma lista telefônica de Kingston. O encontro gerou uma criança, Robbie, que nasceu em 1972. Eventualmente Robbie Marley igualmente foi criado sob o cuidado de Rita. Robbie atendeu á University College of the West Indies,administra uma loja de roupas da griffe Marley e está contemplando presentemente uma carreira de gráfico de computador..
Anita Belnavis, em 1977 Anita, uma campeã do Caribe de tênis de mesa deu o nascimento ao filhoKy-Mani Marley. Pouco é conhecido sobre esta mulher.
O filho único de Anita Belnavis e do ícone Bob Marley da reggae, Ky-mani Marley nasceu em Falmouth, Jamaica. Na idade de nove anos se mudou para o centro da cidade de Miami. No começo, Ky-Mani era inconsciente de suas habilidades musicais, os esportes foram seu primeiro amor, mas aprendeu com sua mãe o sentido da música , tomou aulas de piano e as lições da guitarra e tocou o trumpete em sua banda na High School,além de cantar. Além de seus talentos musicais Ky-Mani era um jóquei sério,e hoje está também se firmando como um artista do reggae e também como um ator.
Ky-mani passou verões com seus pai e mãe substitutos Bob e Rita Marley e transportou-se novamente para a Jamaica em 1992.
Janet Bowen, pouco é sabido igualmente desta mulher,outra a ter um relacionamento com Bob Marley.Em exceção de muitas fontes usadas para este papel, não alistou nem mesmo um apelido, referindo simplesmente a mulher como " Janet in England" .Janet deu o nascimento à filhaKaren Marley de Bob em 1973, na Inglaterra. Karen viveu na Jamaica com sua bisavó em Harbor View, St. Andrew,onde atendeu à escola. Eventualmente Karen transformou-se numa visitante regular do clã de Marley embora temesse inicialmente Bob. Quando Bob ficou doente, pediu que Rita se importasse com Karen e registrasse a menina na mesma escola que a filha Stephanie...
A mulher ligada mais frequentemente com o Bob, à exceção de Rita ou sua mãe Cedella, éCindy Breakespeare(segunda foto). Uma caixa no Sheraton Kingston e uma dançarina na discoteca de Dizzi, Cindy encontrou primeiramente Bob quando os dois assentaram bem como inquilinos em na casa de Chris Blackwell na 56, Hope Road durante o fim dos anos 1970's, quando Cindy era sómente uma adolescente. Numa sexta-feira,em 19 de novembro de 1976, Cindy ganhou os concursos de Miss Jamaica Bikini, Miss Universe Bikini e Miss World, numa campanha que talvez fosse financiada realmente por Bob. Uma criança foi nascida do relacionamento de Cindy e de Bob:Damian Marley,nascido em 21 de julho de 1976 em Jamaica, é apelidado de "Jr. Gong" ,e é também um bem sucedido artista do reggae.Cindy é casada hoje com o guitarrista do jazz e piloto de linha aérea Rupert Bent e vive em Stony Hill Jamaica. Mantém-se ocupada com sua loja de ofício de Ital,como uma decoradora e com sua carreira como uma cantora. Cindy considera Bob hoje como um verdadeiro herói da música..
Além dessas mulheres,que lhe geraram filhos,Bob também teve muitos outros relacionamentos..
A amiga Esther Anderson é mencionada indiretamente em uma de canções de Bob.´´The Lovers’ Favorite Hideaway´´ era uma aldeia de pescadores após Negril. E em uma noite, os dois encontraram em um cruzamento da estrada ao atravessar a ilha. Este foi o ímpeto atrás da música "Rebel Music",onde supostamente foi citada.Diane Jobson era advogada de Bob mas aquele não foi seu papel na vida de Bob que começou inicialmente bem antes. Ela era um exemplo razoavelmente típico de uma mulher da classe alta completamente sob seu controle. Era uma menina da parte alta da cidade, com quem Bob se relacionou e produziu na fé de Rasta nos finais dos anos setenta,e depois que começou a se encontrar com ela,lhe deu a tarefa do dia a dia de ser sua advogada, diz Don Taylor. Pascalene, filha do presidente do Gabão, estava interessada em Bob. No livro ´Reggae King of the World´ o autor descreve-a como " uma mulher devia se cortejar e conquistar, e com quem Bob teve um de seus últimos relacionamentos sérios.....
Bob abertamente falou quee teve relações sexuais com três amigas de Cindy Breakespeare durante o tempo que esteve com Cindy, embora as irmãs Virgínia e Nancy Burke não pareceram se preocupar de compartilhar de seu amante. Sandra Kong, uma outra amiga de Cindy, foi igualmente ligada num romance com o Bob. Em 1977 em Londres, Bob teve um caso com a princesa Yashi, filha do ministro do óleo da Líbia. Descrita como tendo uma pele de " tez verde-oliva lisa e o porte de uma rainha" os dois freqüentaram juntos clubes de Londres. Contudo, Bob ainda preferiu ser cercado por tantas como mulheres quanto possível. Nesse mesmo ano, a Island Records organizou diversas grandes festas em Paris e em Los Angeles para Bob e os The Wailers. Diversas fotos que mostram Bob dançando com várias mulheres bonitas nas discotecas,e muitas delas apareceram naquele tempo em ambas as cidades em jornais europeus e americanos. Aproximadamente nesta vez, Bianca Jagger,a ex-esposa do líder dos Rolling Stones Mick Jagger encontrou Bob ,segundo as informações recebidas por ele, embora parece que nenhum relacionamento evoluiu...




BOB MARLEY & STEVIE WONDER





Bob Marley e Stevie Wonder tocaram algumas canções juntos na Jamaica, nos anos 1970' s. Embora as gravações daqueles desempenhos de 1975 e de 1979 nunca fossem oficialmente liberadas, e sejam extremamente raras, fluiu uma capitulação de quase oito minutos de "I Shot the Sheriff," gravado ao vivo em Kingston há 32 anos, assim você pode ouvir como que soaram na época. Esta gravação incrível foi capturada em 4 de outubro de 1975, quando os Wailers abriram para Stevie Wonder com platéia esgotada. Wonder e Marley se apresentaram no histórico "Wonder Dream Concert" em Kingston, Jamaica, durante um show beneficiente para um instituto para cegos.. A mostra, realizada na National Arena em Kingston, era parte de um plano de promoção do turismo,que pretendida seduzir visitantes para a Jamaica durante a estação dos feriados. O evento igualmente funcionou como uma fundação, com ambas as bandas doando os lucros para o´´ Jamaican Institute for the Blind´´.. Embora poucas pessoas souberam naquele tempo, esse desempenho foi a última vez os Wailers originais,Peter Tosh,Bunny Wailer e Bob Marley tocaram juntos. Os artistas legendários Marley e Wonder igualmente executaram juntos na Philadelphfia em 1979, para a Black Music Association.Foi durante o show de Stevie que Bob e os The Wailers retornaram ao palco para se juntar a Stevie em "I Shot the Sheriff"e no hit de Stevie "Superstition". Enquanto Bob se lançou nos poemas líricos de abertura da canção, voce pode ouvir a selvagem manifestação da multidão quando cantaram "In my Hometown" , desde que Marley era uma estrela mundial internacional nesse ponto em sua carreira e tinha começado finalmente a ser reconhecido em casa pelas suas realizações. Bob toma o primeiro verso antes de passar os vocais de ligação e a responsabilidade para Stevie, que improvisa com sua assinatura R&B, e os elogios da multidão foram mesmo maiores. Esta canção incrível foi executada em uma noite do outono de 1975 por dois dos maiores músicos contemporâneos, e que se tornaram influentes pra a maioria dos artistas modernos..
Stevie Wonder também gravou um álbum chamado ´´Hotter than July´´ que incluía o reggae "Master Blaster (Jammin')", seu tributo a Bob Marley..





BOB MARLEY & JACKSON 5










O ano da visita á Jamaica foi 1975, um ano antes que os Jackson Five deixarem oficialmente a Motown, a etiqueta de gravação responsável por transformar os Jackson 5 no primeiro grupo negro ídolo dos adolescentes, mas apelando a ambas as audiências negros e brancos. Foi o ano que Bob Marley teve sua descoberta internacional com "No Woman No Cry" do álbum Natty Dread . Gerald R. Ford era o 38th presidente dos Estados Unidos da América, enquanto Michael Norman Manley era o quarto primeiro ministro da Jamaica. As tendências de moda principais da época eram sapatos de plataforma grossas com 2-4 polegadas, calças de brim bem largas, blusas mexicanas de camponês, mini saias, para não mencionar os exóticos penteados afro usados pelos Jackson 5,formado por Michael,Jackie, Tito, Jermaine e Marlon Jackson, posteriormente incluindo Randy. Este contraste ficou digamos ´pesado´ ao lado de Bob Marley e seus associados que ostentaram seus sagrados dreadlocks de Rastafari. Quem saberia que esse Michael Jackson (meramente com dezesseis anos naquele tempo) e Bob Marley compartilhariam mais tarde assim muitas similaridades, isto é uma probabilidade humanitária encerrada nas canções tais como "They Don't Care About Us", por Michael Jackson ou " Africa Unite" , por Bob Marley. Sua músicas carregam as mensagens de paz, de esperança, do amor e de uma apelação global intemporal que transcenderam barreiras internacionais, raciais e geracionais. Para não mencionar um legado prematuro marcado pelos sentimento de Bob ter partido demasiado cedo.Bob Marley, Wailers e Sra. Jackson se encontraram na rua Hope Road 56, em Kingston, Jamaica,na casa de Bob. Quando perguntado o que recordava sobre Michael Jackson, o Marley lembrou sobre este momento a tempo quando o Jackson 5 veio a Jamaica a convite de Edward Seaga que era (naquele tempo) o líder de oposição jamaicano.
O concerto dos Jackson Five que foi realizado na Jamaica e sua visita à residência de Bob Marley na rua Hope Road, 56, foi uma ocasião feliz. Jermaine Jackson lembra que jogou mesmo sua camisa suada para uma menina que gritando na primeira fila, que aconteceu de ser a irmã de Ziggy Marley, Sharon.´´ Nós estimaremos aqueles momentos para o resto de nossa vidas´´,diz a família Marley. Os milhares de fãns se recolheram nesse dia para testemunhar o concerto em que Bob Marley era a cabeça do cartaz.Em 1975 os Jackson 5 com Michael Jackson abriram uma mostra para Bob Marley no estádio nacional, na Jamaica.
Nas fotografias na árvore o Michael está no pé de camisa listrada à esquerda ao lado de Bob Marley.
No centro com camiseta regata vermelha está Bob Marley, em sua volta, amigos do grupo The Wailers, os Jackson Five , e entre eles um jovem Michael Jackson,com 16 anos na época..
Aparecem também nas outras fotos os irmãos Jackson, Katherine Jackson ( matriarca da importante família Jackson),o baixista Aston ´´Family Man´´ Barrett &Alvin ´´Seeco´´Patterson, The Wailers,Bunny Wailer (ex-companheiro do grupo The Wailers) e outros amigos de Bob...
Katherine se casou com Joe Jackson em 1949, adotando assim o nome Jackson, e foi mãe de 10 filhos com ele.
Esse foi um encontro histórico de dois personagens que chegaram a ser dois dos maiores ícones da música...




Fonte: http://essenciareggae.blogspot.com.br/

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Um nó no Lençol - Crônica























Numa reunião de pais numa escola da periferia, a 
diretora realçava o apoio que os pais devem dar aos filhos e pedia-lhes que estivessem presentes durante o maior período de tempo possível…
Considerava que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhassem fora, deviam encontrar tempo para se dedicarem e compreenderem os filhos.
A diretora ficou muito surpreendida quando um pai se levantou e explicou, de forma humilde, que não tinha tempo de falar nem de ver o filho durante a semana pois, quando ele saía para trabalhar, o filho ainda estava a dormir e, quando voltava do trabalho, o garoto já não estava acordado.
Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para sustentar a família, mas que ficava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava redimir-se indo beijá-lo todas as noites quando chegava a casa.
E, para que o filho soubesse da sua presença, dava um nó na ponta do lençol que o cobria.

Fazia isto religiosamente todas as noites quando o beijava.
Quando o filho acordava e via o nó, sabia assim que o pai tinha lá estado e o tinha beijado.
O nó era o meio de comunicação entre eles.
A diretora emocionou-se com a história e ficou surpreendida quando constatou que o filho deste pai era um dos melhores alunos da escola!
O facto faz-nos refletir sobre as muitas maneiras de as pessoas estarem presentes e de se comunicarem com os outros.
Este pai encontrou a sua, simples mas eficiente.
E o mais importante é que o filho percebia, através do nó afetivo, o que o pai lhe queria dizer.
Gestos simples, como um beijo e um nó na ponta do lençol, valiam para aquele filho muito mais do que os presentes ou as desculpas vazias.
É por esta razão que um beijo cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, o medo do escuro.

As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas
SABEM registrar um gesto de amor.
Mesmo que esse gesto seja apenas um nó num lençol…
~Autor desconhecido~

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Carta psicografada de Cássia Eller - Interessante



Está circulando na internet e que seria uma psicografia de um médium ditada pela cantora Cássia Eller, morta no dia 29 de dezembro de 2001, aos 39 anos, após sofrer quatro paradas cardíacas.

Wilson Pinto, presidente do Lar de Frei Luiz, conhecido centro espírita de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, teria confirmado que a suposta carta foi escrita no centro, e que já recebeu psicografias de Chorão e Cazuza. “Não é a primeira desse tipo que recebemos. Já recebemos do Chorão, do Cazuza… é verdadeira. O que não é de nosso costume é a divulgação dessas psicografias, é um assunto interno da casa, não deveria ter vazado”, disse Wilson ao jornal extra.


A publicação fez uma boa cobertura sobre a possível carta psicografada de Cássia Eller, entrevistando a ex-companheira de Cássia, Maria Eugênia Martins, o diretor de marketing da Federação Espírita Brasileira, João Rabelo, a mãe do cantor Cazuza, e o presidente da Rádio Rio de Janeiro Espírita, Gerson Monteiro.







Confira a carta na íntegra:


Se eu disser para vocês que o inferno existe, acreditem, pois eu estava mergulhada nele, de corpo e alma, num espaço sombrio e frio, bem interno do ser, dos pés à cabeça, sem tempo, sem luz, nem descanso e afogava-me, a cada segundo, num oceano de matéria viscosa que roubava até minha ilusória alegria… Naquele lugar não havia luz, somente nuvens cinza e chuvas com raios e trovões, gritos estridentes e desesperados, gemidos surdos, pedidos de socorro, lágrimas, desalento, tristeza e revolta…




Preciso descrever mais as cenas dantescas de animais que nos mastigavam e, em seguida, nos devoravam sem consumir nossos corpos; se é que posso dizer que aquilo, que sobrou de mim, era um corpo humano. Queria fugir para bem longe dali, mas tudo em vão, quanto mais me debatia no fluido grudento, mais me afundava e, quando alcançava, de novo, a superfície apavorante, mãos e garras afiadas faziam-me submergir naquele líquido pastoso e mal cheiroso.

Dragões lançavam chamas de suas bocas sujas e nos queimavam, machucando e estilhaçando a pouca consciência que me restava da lembrança de minha estada no corpo físico, neste planeta azul. Guardiões das trevas olhavam atentos seus presos e vigiavam todos os movimentos realizados naquele imenso espaço de sofrimentos, dores, lamentos, depressões, angústias e arrependimentos tardios… O ar era ácido e provocava convulsões diversas.

Perguntava-me porque ali estava se nada fizera por merecer tão infeliz destino, depois de ser expulsa do corpo de carne através do uso maciço de drogas. A dúvida assaltava-me os raros momentos de raciocínio menos desequilibrado e as crises de abstinência trancavam todas as portas que dariam acesso à saída daquele campo de penitência de espíritos rebeldes e viciados com eu.

Os filmes de horror que assisti, quando encarnada, estariam ainda muito distantes dos padecimentos, pânicos, pavores e temores que ficariam para sempre registrados na minha memória mental, os piores dias que vivi até hoje, como joguete e marionete de forças que me escravizavam o ser, debilitado, fraco, desprovido de energias, suja, carente e chorosa.

Não me lembrava do que acontecera comigo… Quando o medo é maior que as necessidades básicas, a mente fica encarcerada num labirinto hipnótico e ‘torporizante’ de emoções truncadas e desconectadas da realidade… Assemelha-se a um pesadelo sem fim, sempre com final trágico e apavorante. Quando conseguia conciliar um pequeno tempo de sono; era imediatamente desperta por seres que me insultavam e xingavam, acusavam-me de suicida maldita e jogavam-me lama misturada com pedras… Insetos e anfíbios ajudavam a traçar o perfil horrendo dos anos que passei no umbral. Preciso escrever estas palavras para nunca mais me esquecer: ‘Com o fenômeno da morte, nós não vamos para o umbral, nós já estamos no umbral quando tentamos forjar as leis maiores da criação com nossas más intenções e tendências viciantes’.

Tudo fica registrado num diário mental que traça nosso destino futuro, no bem ou no mal. O umbral não fora criado por Deus; ele é de autoria dos espíritos que necessitam de um autêntico e genuíno estágio educativo em zonas inferiores, onde poderão se depurar de suas construções aleijadas no campo dos sentimentos e dos pensamentos disformes, mal estruturados e mal conduzidos por nossa irresponsabilidade, de mãos dadas com a imensa ignorância que nos faz seres infelizes e distantes da tão sonhada paz de consciência.

Após alguns anos umbralinos, despertei numa tarde serena, num campo verdejante e calmo. Não acreditava no que via, pois tudo, agora, parecia um sonho… Percebi, ao longe, o canto de uma ave que insistia em acordar-me daquele pesadelo no qual já me acostumava a viver; a morrer todos os dias… Seu canto era uma música que apaziguava meu coração e aguçava meus pensamentos na lembrança de como fui parar ali naquele campo gramado e repleto de árvores. Consegui sentar-me na relva e ao olhar todo aquele espaço natural, deparei-me com milhares de outros seres como eu, nas mesmas condições de debilidade moral, usufruindo, agora, de um bem que não merecia, mas vivia! Todos nós dormíamos e fomos despertos com música e preces em favor de todos os presentes…

A maioria era de jovens e adultos, poucos idosos e centenas de enfermeiros que olhavam atentos para nossos movimentos no gramado. Com seus olhos serenos, projetavam em nós a mansidão e a paz tão esperadas por nossos corações enfermos, débeis e carentes de atenção, de afeto e carinho.

Alguém me tocava, de leve, os ombros e chamava-me pelo nome, como se me conhecesse há muito tempo. Eu identifiquei aquela voz e ‘temia’ olhar para trás e confirmar minha impressão auditiva, era Cazuza todo de branco, como lindo enfermeiro, de cabelos cortados bem curtos e estendia suas mãos para que eu levantasse, caminhasse e conversasse um pouco em sua companhia. Não consegui me levantar, porque uma enxurrada de lágrimas vertia dos meus olhos, como nascente de rio descendo a montanha das dores que trazia no peito. Meu ídolo ali estava resgatando e cuidando de sua fã, debilitada e muito carente. Ele cantou pequena canção e tive a capacidade de avaliar o que Deus havia reservado para aqueles que feriam suas leis e buscavam consolo entre erros escabrosos e desconcertantes.

A misericórdia divina sempre conspira a nosso favor, nós desdenhamos do amor divino com nossas desatenções e desequilíbrios das emoções comprometedoras, que arranham e esmagam as mais puras sementes depositadas no ser imortal. Aprendi palavras boas! Somente agora enxergo que sou espírito e que a vida continua e precisa seguir o curso natural das existências, como na roda-gigante: hora estamos aqui no alto; hora estamos aí embaixo encarnados. Daqui de cima, parece ser mais fácil compreender porque temos de respeitar as leis e descer num corpo físico para, igualmente, quando aí estivermos, conquistarmos, pelo trabalho no bem, a lucidez que explica porque há a reencarnação, filha da justiça divina.

Após um tempo no campo reconfortante, fui reconduzida para um hospital onde me recupero até hoje dos traumas e cicatrizes que criei no corpo do perispírito. As lesões que provoquei foram muito graves, passei por várias cirurgias espirituais e soube que minha próxima encarnação será dolorosa e expiarei asma, deficiência mental e tuberculose. Mesmo assim, estou reunindo forças para estudar, pois sempre guardamos, no inconsciente, todos os aprendizados conquistados. Reencarnarei numa comunidade carente no interior do Brasil e passarei por muitos reveses, para despertar em mim o valor da vida do espírito na pobreza e na doença crônica. Peço orações e a caridade dos corações que já sabem o que fazem e para onde desejam chegar. Invistam suas forças e energias espirituais em trabalhos de auxílio ao próximo e serão, naturalmente, felizes. Obrigada por me aceitarem como necessitada que sou!




fonte: http://www.superpride.com.br/

domingo, 21 de junho de 2015

Máscara do Dr Ivo Pitanguy (Receitinha de Ouro)




Máscara do Dr Ivo Pitanguy (Receitinha de Ouro)


Gente essa dica é maravilhosa, quem deu foi a Glória Maria durante uma entrevista para a Luana Piovani no programa Super Bonita da GNT, Confira:

Ivo Pitanguy (que já foi considerado o melhor cirurgião plástico do mundo) deu essa receita para Glória Maria (que ninguém sabe quantos anos ela tem, mas, a pele é MARA).
Glória falou que não abre mão dessa máscara milagrosa, que é feita com coisas bem simples: Bepantol (pomada), Hipoglós, cinco gotinhas de vitamina A e cinco gotinhas de vitamina E.
Para quem não gosta do cheiro do Hipoglós, agora existe a Hipoglós com amêndoas, o cheiro é beeeeem melhor.

Hipoglós e Bepantol deixam a pele igual de bebê, vitamina pura para a pele..
No 1º dia após lavar o rosto já dá para perceber a diferença.


OBS: Serve para todos os tipos de pele, inclusive oleosa. A máscara pode ser feita até três vezes na semana e não tem medida certa de Bepantol e Hipoglós, é só pegar a quantidade necessária pra cobrir o rosto e misturar tudo. Vale lembrar que não dá pra guardar a misturinha, então, só façam o necessário para uma noite, senão perde o efeito. Eu faço a mistura na palma da mão mesmo.
Com a pele devidamente limpa, aplique a máscara antes de dormir e removam no dia seguinte.

Gostaram da dica? Então compartilha.



Vimos no http://dicasparavoce.org

quinta-feira, 18 de junho de 2015

CONSELHOS DE PUTA VELHA.




Não se esforce demais. O lingerie de seda, o perfume importado e o jantarzinho a luz de velas com vinho caro é para quem merece. Algumas mulheres têm mania de pegar um ficante que encontrou há a uma semana na balada, levar pra casa e tratar como um rei. Tratamento vip é para namorado firme e marido, se merecerem. Porte-se como uma joia rara e como tal não se doe facilmente para o primeiro que aparecer, não importa o nível da sua carência, seja valiosa.
Pare de ser tão boazinha. Abrir mão do que gosta, mudar o jeito de ser, deixar de se divertir, só porque começou um relacionamento e está apaixonada? Homem gosta de mulher com vida própria, orbitar em volta dele é receita certa para o fracasso, ele pode momentaneamente demonstrar que gosta deste estilo, mas logo se cansa. No fim você perde o namorado e os amigos. Sem contar que ele não vai abrir mão de assistir futebol para ficar com você. Use o mesmo critério para lidar com ele e no fim ele estará te acompanhando em tudo, feliz da vida, afinal é muito bom estar ao lado de pessoas que tem vida.
Pare com os joguinhos. Os casais perdem a oportunidade de se conhecer de verdade e sem máscaras. Está manjado demais transar só no terceiro encontro, não responder a mensagem antes de 60 minutos, só atender o telefone no quinto toque, fazer ciúmes sem necessidade e fingir que não dá a mínima. Encontrar o equilíbrio entre ser disponível demais e ser inacessível está difícil. Ninguém mais demonstra interesse e tesão pelo outro de forma saudável. Nunca sabemos se o outro não liga no dia seguinte porque não está interessado ou porque está se fazendo de difícil para valorizar o passe. Ter tato para não perder a dignidade e saber a hora de bater em retirada é importante, mas um pouco de transparência e sinceridade não faz mal a ninguém. Se for fazer joguinho, seja inteligente, crie novos truques, pois alguns já estão batidos demais.
Jamais se rebaixe. Não importa qual foi a traição, a culpa é do seu parceiro e não da “vagabunda” que ele comeu, a não ser que ela tenha colocado um revolver na cabeça dele. Essa história de mulher bater na amante é ridícula. Nenhum homem é digno de escândalos e manifestações públicas de ciúmes, isso inclui as indiretas nas redes sociais. Mesmo que tiver chorando lágrimas de sangue, fique em cima do salto, ninguém precisa saber da sua condição miserável, não dê esse gostinho para as inimigas e para algumas amigas falsas e invejosas. Aprenda, para algumas pessoas só contamos as vitórias!
Seja você mesma. A performance do filme pornô de quinta categoria não precisa necessariamente ir para sua cama, nada mais patético que a mulherada que finge orgasmo e ainda quer contar vantagem “ pras amiga”. Sem contar que se a coisa for forçada demais o homem percebe. Já ouvi depoimentos de caras que simplesmente brocharam em situações assim. Nada contra quem gosta do estilo e faz porque realmente gosta e está com vontade, mas tudo que é falso e feito somente para tentar impressionar o outro pode gerar efeito contrário.
A diferença entre ser feminina e mulherzinha. Homem quer ser homem, o chefe da casa. Suba na cadeira e chame o gato pra matar a barata, peça-o para abrir a conserva de azeitona e trocar a resistência do chuveiro (essa é uma lição que ainda não aprendi). Quando o macho alfa terminar, não esqueça de agradecer e elogiar tanta virilidade Não importa se você é presidente de uma multinacional e ganha cinco vezes mais que ele, seu parceiro vai adorar uma mulher feminina que o valorize enquanto homem e que o faça sentir-se útil (isso se ele merecer). A mulherzinha olha a marca do carro, dá golpe dá barriga e é manipuladora, faz escândalo por qualquer coisa, quebra as finanças do parceiro, requer atenção total, mas é afetivamente mesquinha, só recebe. Mulherzinha, ai que preguiça! Para os leitores que levam tudo ao pé da letra, é claro que esse é um exemplo, existem infinitas possibilidades para valorizar um homem, e não podemos limitá-los apenas a matadores de baratas e abridores de conservas.
Escolha bem seu parceiro use a razão não só o coração. A mulherada lutou e luta tanto por igualdade, mas hoje tem jornada dupla e até tripla para dar conta da vida profissional, casa, filhos e marido. Queria saber onde está a igualdade nisso, pois enquanto a mulher se desdobra, muitos maridos estão no sofá assistindo tv ou no bar com os amigos. Quando for se relacionar com alguém, antes de se envolver loucamente em um amor de pica sem fim, preste muita atenção na sogra, veja como ela trata os filhos. Dá tudo na mão, recolhe os sapatos e meias sujas pela casa, faz o pratinho de comida com o feijão em cima, lava as cuecas, defende cada um até a morte mesmo que estejam errados? Se for esse o caso, AMIGA CORRAAAAA! Caso contrário, você será uma forte candidata a Amélia emancipada.
O borogodó – Magnetismo pessoal e amor próprio vale mais que um corpo sarado. A mulherada está caprichando tanto no treino, na lipoaspiração e no silicone, mas o número de fracassos amorosos não diminui. Outra ala se sente gorda demais e sem autoconfiança para atrair o sexo oposto, mas também não faz nada para mudar. Existem mulheres que aparentemente não possuem nada de especial, podem até ser “feias”, porém, por alguma razão os homens caem aos seus pés. Esse magnetismo em algumas mulheres vem de onde? O que elas têm é independência emocional, se apoiam sozinhas, se bastam, tem outras metas além de agarrar um homem, estudam, trabalham, viajam e são felizes sozinhas ou acompanhadas. Não vivem carentes chorando pelos cantos, não são cheias de mágoas, não pegaram ódio dos homens por conta de decepções do passado. Aconteça o que acontecer, essas mulheres estão sempre de cabeça erguida e tem uma vida que não se limita apenas em se arrumar para encontrar um macho.
Seja uma puta entre quatro paredes e o que quiser na sociedade. Afinal o que é ser uma dama na sociedade? A Amélia emancipada devotada à família, a esposa renegada que trabalha que nem camela para dividir com o marido as contas de casa? Tem algo mais irritante que estereótipos do que é ser uma boa mãe e esposa? E a quantidade de cobranças que recebemos quando não atendemos esse modelo? E essa mulher resignada e atarefada, consegue ser o mulherão que os homens adoram entre quatro paredes? Claro que não! Conheço casais que nunca conversaram sobre suas preferências e fantasias sexuais. Tudo bem que não é fácil manter o tesão a todo vapor 100% do tempo, mas quanto vale o seu relacionamento? Será que ele não merece um pouco mais de investimento? Nem é tão difícil assim satisfazer um homem, faça bem feito, faça com gosto, mostre que ele é desejado (se ele merecer) nem precisa se pendurar no lustre e saber todas as posições do kama sutra, basta tirar algumas horas para dedicar exclusivamente a ele, com amor, carinho e uma pitada de sacanagem, por que não? Por ele sim vale investir no jantarzinho a luz de velas, no lingerie de renda e no vinho caro.


Esse título foi inspirado por uma grande amiga, prostituta aposentada, que acumulou uma experiência de vida que poucas vezes vi igual. Na verdade, ela tem a idade da minha mãe e sempre me deu conselhos dizendo: – Ouve o conselho dessa puta velha! Por incrível que pareça, toda vez que não seguia os conselhos dela me dava mal. Esta mulher até hoje tem em suas mãos tudo que quer e um poder de atração de dar inveja a qualquer ninfeta de 20 anos, soube investir todo dinheiro que ganhou e tem uma vida mais que tranquila ao lado do grande e único amor de sua vida. E quando pensamos em puta, pensamos logo em promiscuidade e vender o corpo, mas tem muita puta por aí mais digna e honesta que certas mulheres tidas como “damas da sociedade”, mas que já se venderam mais que tudo e por muito pouco. Histórias assim são para quebrar os paradigmas e fazer repensar alguns valores, sem contar que chacoalham os puritanos, as feministas e críticos de plantão.

ISIS THOT

domingo, 14 de junho de 2015

Descubra para quais times torcem os jornalistas do Rio Grande do Sul











Maurício Saraiva - Internacional


Não é fácil ter que controlar as emoções e ainda comentar sobre seu time ou um rival durante uma partida. Por isso, muitos profissionais preferem não revelar seus clubes do coração.

Porém, sabemos que todos eles trabalham muito sério e que a imparcialidade nas afirmações durante os jogos e debates é sempre mantida.

Agora, você sabia que o Chico Garcia é gremista? Ou que o Leandro Behs é colorado?


Veja a galeria de fotos dos jornalistas do Rio Grande do Sul e seus times do coração:






Nando Gross - Internacional




Paulo Brito - Internacional



Pedro Ernesto - Grêmio


Ribeiro Neto - Internacional


Ruy Carlos Osterman - Internacional

Wianey Carlet - Internacional

Jose´ Aldo Pinheiro - Grêmio







Alexandre Pretzel - Internacional




Marco Antônio Pereira - Grêmio


Luiz Carlos Reche - Internacional


Luis Henrique Benfica - Internacional

Leandro Behs - Internacional

Lauro Quadros - Grêmio

Fabiano Baldasso - Internacional

Diogo Olivier - Internacional


David Coimbra - Grêmio

Daniel Oliveira - Internacional

Chico Garcia - Grêmio


Fonte da notícia acima: Terceiro tempo de Milton Neves



Resultado de imagem para leonardo meneghetti
Leonardo Meneghetti - Internacional




Deixem-me torcer para o meu clube. E me deixem fazer jornalismo esportivo sério e isento como sempre fiz nestes 30 anos. E agora eu vou comprar uma camisa do meu time. Vermelha. Vamo, vamo Inter!


Jornalista esportivo desde 1986, Leonardo Meneghetti foi repórter de rádio, TV e jornal e está no Grupo Bandeirantes desde 1994. Foi coordenador de esportes, diretor de jornalismo, e, desde 2005, é o diretor-geral da Band-RS. Diariamente comanda “Os Donos da Bola”, na Band TV.

Texto retirado do site: http://jbfilhoreporter.final.com.br/


Você acertou quantos? Deixe seu comentário!!!!!!!!

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Bernardo - Ao nosso anjo Justiça!!!




Meu nome era Bernardo.
Tive uma passagem breve nesse mundo...
Nasci numa família rica e com prestígio.
Tinha uma mãezinha linda e carinhosa.
Meu pai...Bem meu pai nem tanto...
Um homem frio, distante, mas nunca perdi a esperança de conquistar o seu amor!!!
Tinha uma casa linda, enorme e aconchegante...
No entanto, meu lar era a rua.
Tinha uma família completa:pai, mãe, mas, minha família eram os amigos que conquistei.
Ah, com eles, passei momentos felizes que amenizaram meu sofrimento...
Minha mãe apesar,de jovem e saudável, morreu tão cedo, vítima de uma trama sórdida, tudo por causa de dinheiro...
Tive condições financeiras porém, passei fome e frio...
Gritei por socorro...
Lutei pra sobreviver...
Mas, só, não consegui vencer.
Ninguém me escutou...
Ninguém deu ouvidos ao meu choro...
Parece que olhavam para mim e não me viam...
Eu não queria dinheiro, eu queria carinho!!
Eu não desejava roupas caras, somente um abraço quentinho!!
Entretanto, sofria na escuridão do meu quarto, com dores na alma e no corpo...
Ao invés de um beijo na testa e um abraço amigo, meu pai me dava porrada e, depois me dopava para que eu dormisse e não o incomodasse...
Só queria amor, recebi ódio...
Por que?Não entendo.
Meu pai me deu a vida para depois me matar.
Quantas lágrimas derramei e, ele não percebeu que era por ele que sofria!!!
Meu pai, profissão médico, salvar vidas!!!
Porém, minha vida tirou!!!
Sua assinatura servia para receitar a cura...
Mas para mim, serviu para comprar a minha morte...
Meu pai, me deixou pra morrer.
Naquela cova fria que mandastes me colocar...
Quando acordei, senti o horror do abandono...
Chorei, gritei!!!
Não consegui sair daquele buraco escuro e sem ar.
Senti dores terríveis, minha pele queimava com o ácido que derramaram sobre mim...
Então me perguntava porque tanta maldade...O que fiz para merecer acabar assim???
Como se não bastasse saiu para comemorar e até um charuto fumou pela minha morte...Sua vitória...
Eu era somente uma criança lutando para sobreviver.
Um menino que queria brincar.
Queria que sentisse orgulho de mim...
Mas, meu pai, você não soube me amar!!!
Não foi capaz de ver nos meus olhos, a angustia que teu desprezo me causava...
No meu olhar existia amor pai...
Eu tinha tanto amor para te dar!!!
Eu era teu primogênito, o primeiro filho, aquele que iria dar seguimento ao teu nome...
E você me matou.
Destruiu meus sonhos, meu desejo de ser feliz...
Adeus, agora, não sinto mais dor...
Não estou chorando...
Meu Pai do Céu me amparou...
Agora, durmo um sono tranquilo, não tenho mais pesadelos...
E quando chegar tua velhice pai, lembre desse teu filho que você não quis amar...
Que os anjos protejam minha vózinha Jussara e, que dê forças para ela continuar sem mim e minha mãezinha...
E, algum dia, espero rever a todos que, de alguma forma, me amaram...
Enquanto esse dia não chega, sejam felizes, sem mim.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Biografia The Cure



Em
21 de abril de 1959 nascia em Blackpool, Inglaterra, aquele que seria o líder de umas das maiores e mais importantes bandas de Rock do cenário mundial. Seu nome era Robert Smith. Cresceu no bairro de Crowley, periferia de Sussex e desde cedo sofreu diversas influências musicais. Seus irmãos ouviam Beatles e Jimi Hendrix, e ainda havia a crescente onda punk da década de 70 na Inglaterra.



Com 16 anos, Robert forma a banda Malice que logo após viria a se chamar Easy Cure. Com ele, tocavam o guitarrista e tecladista Porl Thompson, o baixista Michael Dempsey, e o baterista (e depois tecladista) Laurence "Lol" Tolhurst. Ainda com o nome de Easy Cure eles participam, em abril de 1977, de um de um concurso musical na Alemanha, promovido pela gravadora "Hansa", cujo prêmio incluía a produção de uma demo-tape e um possível contrato de cinco anos. Eles ganham o concurso mas não conseguem gravar a demo, já que a gravadora esperava um som mais punk. Fazem alguns shows até o final daquele ano, mas permanecem chateados com a exigência da Hansa de fazer covers de punk rock.

Até março de
1978 eles ainda não haviam conseguido gravar nenhuma demo pela Hansa, então decidem investir numa gravação demo própria. Gravam as músicas Killing an Arab, Boys Don't Cry, Fire In Cairo, It's Not You e 10:15 Saturday Night. Levam a fita demo para várias gravadoras e Chris Parry, diretor artístico da Polygram inglesa, se interessa e posteriormente resolve produzir o primeiro single da banda. Assim, a banda, agora sem Porl Thompson, muda o nome para The Cure e Parry passa a empresariar a banda.

Em setembro de
1978 eles gravam o single Killing An Arab e com a divulgação promovida por Parry conseguem uma boa vendagem em pouco tempo.

Em
1979, enquanto faziam várias apresentações agendadas por Parry, o Cure começava a produzir aquele que seria o seu primeiro álbum: Three Imaginary Boys. O álbum tem uma boa aceitação embora não tenha emplacado logo de cara. Nos Estados Unidos, o disco é lançado em 1980, com o nome de Boys Don’t Cry.

Logo após, o Cure lança os singles
Boys Don't Cry e Jumping Someone Else’s Train e o sucesso cresce cada vez mais.

No segundo álbum, 17 Seconds
(1980), a banda começa a ter um significativo avanço na técnica de estúdio. Neste álbum, o acompanhamento sutil dos teclados, em arranjos de estrutura minimalista, contribui na construção de uma atmosfera já um tanto sombria e depressiva que os caracterizaria daí pra frente. A música A Forest impulsionou as vendas do álbum em todo o mundo e a banda arrisca a sua primeira turnê mundial. Todos os discos desde então apenas viriam a confirmar a popularidade crescente.




Dando continuidade com a mudança sonora, o terceiro álbum, Faith (1981), e o quarto,Pornography (1982), marcam a fase mais sombria do Cure refletindo um período muito conturbado de Robert Smith, perpassado por problemas com drogas e principalmente alcoolismo. As letras são muito tristes e os arranjos expressam toda a depressão de Robert. Em razão desses álbuns e dessa fase obscura, eles ganham o rótulo de góticos ou "darks", aqui no Brasil. Nesse período, há várias mudanças de formação da banda, inclusive com a saída de Simon Gallup por desentendimentos com Robert Smith. Nessa época Smith, chega a fazer algumas participações como guitarrista pelo Siouxsie and The Banshees.

Após essa fase conturbada, o Cure volta com uma proposta mais pop e um tanto quanto psicodélica. Smith já estava cansado dos discos estarem atraindo platéias cada vez mais raivosas e depressivas. Assim, esse tempo resulta num EP chamado Japanese
Whispers (1983), com as clássicas The Walk, Lovecats e Let’s Go To Bed, basicamente eletrônicas.

Em 1984 é lançado The Top, considerado pela crítica como o melhor trabalho do Cure até então, ao contrário de Bob Smith, que o considerou o pior disco, por problemas de mixagem. Esse disco, mistura psicodelia, pop de boa levada e aquele toque soturno bem dosado.

O ano de 1985 foi marcado por uma virada na vida do Cure. A banda parou de consumir drogas e teve uma das melhores fases, com o sucesso do disco The Head on the Door, de altíssima rotatividade aqui no Brasil, com In Between Days (usada na abertura do programa Clip Clip, da Globo, em 1985 e 1986) e Close to Me (que ganhou o astronauta de prata da MTV como melhor clipe do ano em 1985). É um disco pop, em que a depressão dá lugar a uma leve melancolia.






O ano seguinte foi o da consagração da banda. Lançaram a coletânea Standing On The Beach que teve seu nome mudado paraStaring At The Sea. Eles estouram em todo o mundo, fazendo dezenas de shows.

Em 1987, a banda passa semanas de reclusão em uma mansão campestre isolada do público, para começar a compor e ensaiar as músicas do próximo disco, Kiss Me Kiss Me Kiss Me. Lançado no dia 5 de maio de 1987, o disco trazia 17 faixas e alguns dos mais belos momentos da carreira do grupo. Mas o grande momento para os fãs brasileiros foi a presença do grupo no país, por duas semanas, aportando no Brasil no dia 19 de março 1987. A banda havia começado uma imensa turnê de 70 shows pelo mundo. Ao todo no Brasil, foram oito shows, apresentados nas cidades de Porto Alegre (dois), Belo Horizonte (um), Rio de Janeiro (dois) e São Paulo (três).





No ano seguinte, o Cure deu uma parada com os trabalhos. Robert Smith casa-se com sua noiva Mary, em agosto. Laurence Tolhurst sai da banda por motivos pessoais, e ainda tenta mover um processo para ficar com o nome e parte dos lucros da banda.

Em 1989 a banda lança o disco Disintegration, no geral gravado ao vivo, com muito baixo de seis cordas e arranjos elaborados e extensos, resultando em um disco melancólico, triste, mas bonito. Para muitos o disco significava o fim do Cure.

A banda lança em
1990, Mixed Up, um álbum de remixes velhos. Dois anos depois, o inéditoWish coloca o The Cure de volta nas rádios com a pop Friday I’m In Love. Assim eles voltam a rodar o mundo numa gigantesca turnê, tocando em espetáculos lotados, onde quer que fossem. Através do "Wish Tour", eles gravam em 1993, os discos ao vivo Show e Paris.



Depois de muita espera, em 1994 termina o processo movido por Laurence Tolhurst, tendo resultado a favor de Robert Smith e da gravadora Fiction Records.

Em
1996, o Cure se apresenta no Brasil novamente, agora na última edição do Hollywood Rock, motivados por uma abaixo-assinado que os fãs brasileiros organizaram. Nesse show, músicas de um álbum em andamento foram apresentadas, Wild Mood Swings. Esse disco é lançado assim que a banda retorna à Inglaterra. Logo depois, o Cure parte para uma nova turnê, a "The Swing Tour", que teve mais de 100 apresentações ao redor do globo.

Durante o ano de
1997, o Cure lança Galore, uma coletânea da segunda década de músicas do Cure, que inclui a nova canção Wrong Number. No começo de 1998, Robert Smith aparece em um episódio do desenho animado americano South Park, e participa da trilha sonora do filmeOrgazmo, de Trey Parker e Matt Stone, com a música A Sign From God. Com a sua banda, Robert grava a música World In My Eyes para um tributo ao Depeche Mode e grava tambémMore Than This para a trilha sonora do seriado The X-Files. No fim do ano, a banda volta aos estúdios ao lado do produtor Paul Corkett para a gravação de um novo disco, o qual só seria terminado em meados de 1999 e lançado oficialmente em 2000. Bloodflowers foi, na opinião de Robert, o disco mais perfeito lançado pela banda. Há rumores de que seria o último trabalho do Cure, mas isso não se concretiza posteriormente.

Em 2001, Robert reúne a banda novamente e o The Cure participa do festival alternativo europeu Roskilde. No mesmo ano é lançada a coletânea Greatest Hits, que vem com duas faixas inéditas, Cut Here e Just Say Yes. No embalo, também sai um DVD com o mesmo nome, trazendo diversos vídeo-clipes de toda a carreira do Cure.




O DVD épico Trilogy vem a seguir, em 2003, com shows em Berlim nos quais a banda tocou, em seqüência, três álbuns completos: Pornography, Disinte-gration e Bloodflowers. Como se não fosse o bastante para os fãs, os extras continham entrevistas da banda falando sobre as gravações do disco a ser lançado no ano seguinte.

No ano de
2004, após lançar no começo do ano o box set Join the Dots(uma compilação de material inédito, b-sides e versões alternativas, em quatro discos) a banda lança em junho o sucessor de Bloodflowers, intitulado simplesmente The Cure. O álbum acaba sendo elogiado pela crítica, com canções sombrias, atmosféricas, mas que não deixam de lado a veia pop do Cure. Os destaques são para End of The World, e também para as belas Lost e Before Three. Ainda, o primeiro álbum da banda (Three Imaginary Boys) é remasterizado e lançado para os fãs mais velhos. No ano seguinte o Cure sai novamente em turnê para divulgar seu novo disco.

Em
2005, a banda dá sequência aos lançamentos de remasterizações: Seventeen Seconds,Faith e Pornography (todos como "Deluxe Edition"). Em maio, os integrantes Perry Bamonte e Roger O'Donnel abandonam o The Cure sem apresentarem motivos. Porl Thompson é convidado a ocupar a função de guitarrista.




Já em
2006, é lançado, exclusivamente na Internet, a coletânea 4Play com novas versões de velhos clássicos. Em seguida, The Top, The Head On The Door e Kiss Me Kiss Me Kiss Metambém entram na linha de remasterizações. Em maio é lançado o DVD e o CD The Cure Festivalcom trinta músicas extraídas de apresentações realizadas em diversos festivais do ano anterior. Desde então, há rumores de um novo álbum em fase de conclusão. Robert Smith chegou a admitir atravessar uma crise criativa para composição de novas letras. No entanto, em meados de 2007, a banda já visitava vários países em uma turnê mundial.

No ano seguinte, a banda passou a disponibilizar um single por mês a fim de despertar a curiosidade dos fãs. Finalmente, em outubro, é lançado oficialmente o décimo terceiro álbum da carreira. 4:13 Dream traz 13 faixas inéditas que não se propõem a inovar ou modernizar a identidade da banda. Este é um trabalho que ratifica o estilo Rock/Pop consagrado sem que, no entanto, seja repetitivo. De qualquer forma, um disco novo do The Cure é sempre um evento que, no mínimo, merece atenção dos velhos e novos ouvintes.

O The Cure foi, sem dúvida, uma das bandas mais importantes da década de 80. Responsáveis por grande parte dos hits dessa época, o grupo ainda continua fazendo história, mais de 25 anos após o lançamento do primeiro álbum. Com o lendário Robert Smith, o único remanescente desde o início, a banda ultrapassa os limites de qualquer rótulo que já tenha sido enquadrada e continua agradando a todos os adoradores do bom e velho Rock.



Por Spectrum
Fonte: http://www.spectrumgothic.com.br/musica/bandas/cure/bio_cure.htm