sexta-feira, 30 de maio de 2014

11 MÚSICAS QUE CANTAMOS ERRADO

Quem canta seus males espanta! Mas espera lá. Tem certeza que você está cantando certo?

Ceno do filme "Curtindo a Vida Adoidado" (1986)
  • Ceno do filme "Curtindo a Vida Adoidado" (1986)
    Créditos: Reprodução


Acreditar com todas as suas forças e ter certeza de que você está cantando lindamente a composição do seu músico favorito. Quem nunca?


Pior que às vezes passamos anos cantarolando aquela mesma música e só percebemos que tem alguma coisa errada quando um amigo olha pra você com uma cara de espanto e começa a gargalhar.

Fizemos uma listinha com algumas das pérolas que ouvimos por aí. Olha só:



Para mim a que mais cantei errada e foi por muitos anos e só a pouco tempo fiquei sabendo foi:
Uma música infantil. 
Batatinha quando nasce esparrama pelo chão e o correto é: batatinha quando nasce espalha rama pelo chão.
mas segue aí a lista! deixe seu comentário.











“OCEANO”, DJAVAN



CERTO: "Amar é um deserto e seus temooooreeeesss"

ERRADO: "Amarelo deserto e seus temooooriiiisss"


“HOMEM PRIMATA”,  TITÃS



CERTO: "Homem primata! Capitalismo selvagem... Ôoooo Ôooo Ô!"

ERRADO: "Homem que mata! Capitalismo selvagem... Ôoooo Ôooo Ô!"


“CHÃO DE GIZ”,  ZÉ RAMALHO



CERTO: "Fotografias recortadas de jornais de folhas, amiúdeeee"

ERRADO: "Fotografias recortadas de jornais de folhas, Hollywooodiiiiiiii"


“COMO NOSSOS PAIS”, BELCHIOR



CERTO: "Mas é você, que ama o passado e que não vê".

ERRADO: "Mas é você, que é mal passado e que não vê".


“NOITE DO PRAZER”, CLÁUDIO ZOLI



CERTO: "Na madrugada vitrola rolado um blues, tocando B.B. King sem parar"

ERRADO: "Na madrugada vitrola rolando um blues, trocando de biquíni sem parar"


“AMOR DE CHOCOLATE”, NALDO



CERTO: “Alto em cima, alto em cima, alto em cima!”

ERRADO: “Autoestima, autoestima, autoestima!” ou “Alucina, alucina, alucina!


“IDEOLOGIA”, CAZUZA



CERTO: “Transformam o país inteiro num puteiro”

ERRADO: “Transformam o país inteiro num chuveiro”

  

“XIBOM BOMBOM”, AS MENINAS



CERTO: “Analisando essa cadeia hereditária quero me livrar dessa situação precária”

ERRADO: “Analisando essa cadeira, ela é de praia, quero me livrar dessa situação precária"


MELÔ DO MARINHEIRO”, PARALAMAS DO SUCESSO



CERTO: “Entrei de gaiato num navio, Entrei, entrei, entrei pelo cano”

ERRADO: "Entrei de caiaque no navio! Entrei, entrei, entrei por engano."


“SOS SOLIDÃO”, LULU SANTOS



CERTO: “SOS solidão”

ERRADO: “Leste-Oeste solidão”





Retirado do site: guia da semana

10 ATORES QUE MORRERAM DURANTE AS FILMAGENS




Brandon Lee em "O Corvo"



Quando chega a hora não tem jeito e não adianta querer escapar. Pode soar mórbido, mas é assim mesmo, todo mundo sabe. Às vezes no cinema acontece algum astros morrer bem no meio de algum trabalho e além de deixar o elenco em choque e claro, colocam diretores e produtores em apuros.


Uma das histórias mais cabeludas é a do ator Brandon Lee, tá lembrado? Brandon entra no set de gravação com um saco de papelão na cabeça e durante a cena leva um tiro de uma arma que deveria ter festim e não munição de verdade.





CORY MONTEITH

No auge da carreira o ator canadense foi encontrado morto em um quarto de hotel em Vancouver, no Canadá, depois de consumir heroína e álcool. Cory vivia o adolescente Finn Hudson no seriado musical Glee e tinha acabado de gravar dois filmes, “All the Wrong Reasons” e “McCanick”, que foram lançados logo após a sua morte. Seu problema com drogas vinha desde os 12 anos de idade e meses antes a sua morte, Cory se internou em uma clinica de reabilitação.







HEATH LEDGER

Na época, o ator tinha acabado de interpretar o Coringa no em “Batman: O Cavaleiro das Trevas”, 2008. Mal saiu de um filme e engatou em outro: enquanto gravava as filmagens de “O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus”, Ledger morreu devido a uma intoxicação por remédios. Como o diretor Terry Gilliam não tinha gravado nem um terço do filme, a solução foi mudar o roteiro do longa. O personagem de Ledger mudava de identidade várias vezes. Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law foram os atores convidados para alternarem o papel.






OLIVER REED
Há três dias de terminar suas filmagens no filme “Gladiador”, o ator Oliver Reed, que estava interpretando o personagem Próximo, morreu aos 61 anos depois de passar uma tarde inteira enchendo a cara de uísque em um pub na ilha de Malta, onde o longa estava sendo gravado. O diretor Ridley Scott passou um sufoco, teve que desembolsar US$ 3 milhões para recriar o ator digitalmente. Sorte que o filme rendeu mais de US$ 450 milhões de dólares.







RIVER PHOENIX

O ator começou a trabalhar cedo e, aos 16 anos, atuou em "Conta Comigo", filme que alavancou sua carreira. Em 1993, durante as filmagens de "Dark Blood", Phoenix desmaiou na porta de uma boate, foi socorrido e morreu uma hora depois no hospital. No início, houve suspeitas de envenenamento ou que alguém tivesse posto drogas na bebida do ator. Mas, no fim das contas, foi constatada a morte por overdose. "Dark Blood" não foi terminado e permanece engavetado até hoje.






BRUCE LEE

O ator Bruce Lee morreu devido a um edema cerebral causado por um remédio composto por analgésico e relaxante muscular. Tudo aconteceu durante as gravações dos longas “Operação Dragão” e “Jogo da Morte”. Lee foi passar texto na casa de uma amiga que lhe deu um remédio após o ator dizer que estava com dor de cabeça e ele teria tido uma reação alérgica a esse medicamento. Os produtores utilizaram sósias e material de arquivo para terminar os filmes.





BRANDON LEE

Tudo bem que foi uma das maiores cagadas do cinema, mas tal pai, tal filho. Durante a gravação do filme “O Corvo”, o personagem do ator Brandon Lee leva um tiro em cena. O problema que ao invés de estar carregada de festim, a arma estava com bala de verdade. Alguns dizem que foi assassinato e a bala de verdade tinha sido colocada lá de propósito, mas até hoje essa teoria não foi comprovada. Um detalhe sinistro é que o ator River Phoenix, que morreu durante as filmagens de Dark Blood, disputou o papel com Lee.




MARILYN MONROE

Muitas conspirações rondam a morte de Marilyn. A atriz morreu em 5 de agosto de 1962, quando ainda rolavam as filmagens de "Something's Got to Give", co-estrelado por Dean Martin e Cyd Charisse. Na época, foi declarada morte por overdose de barbitúricos e, consequentemente, o caso foi considerado suicídio. No entanto, a atriz estava envolvida com o presidente dos EUA, John F. Kennedy e teria tido um suposto caso com Bob Kennedy, irmão de John, o que fez alguns levantarem a hipótese de um crime passional, enquanto outros afirmavam que era "queima de arquivo".




JOHN CANDY

Candy morreu durante as gravações do filme "Dois Contra o Oeste", de ataque-cardíaco fulminante em seu quarto de hotel. Mesmo assim, o diretor Peter Markle finalizou o filme usando um dublê gordinho para algumas cenas que ainda não haviam sido gravadas pelo ator. Logo em seguida, foi lançado o filme "Jamaica Abaixo de Zero", o maior sucesso da carreira de John.





JEAN HARLOW

Jean Harlow é outra cuja a historia da morte é permeada por mistérios. Morreu de insuficiência renal, quando tinha 26 anos e era protagonista do filme "Saratoga". Cinco anos antes de sua morte, seu marido, Paul Bern, havia se suicidado com um tiro na cabeça. Dizem que os problemas renais da atriz foram consequência das surras que levou do marido.





ROY KINNEAR

Nas filmagens de "O Retorno dos Três Mosqueteiros", na Espanha, Kinnear caiu do cavalo, literalmente. O tombo não tirou sua vida mas lhe rendeu uma pélvis fraturada. O ator foi levado a um hospital em Madri e, no dia seguinte à sua internação, morreu de infarto. Não se sabe se foi muita falta de sorte ou se algo de errado aconteceu no hospital. Tanto que a família do ator abriu um inquérito para investigar o tratamento que ele recebeu enquanto ficou internado.


fonte: site guia da semana

domingo, 25 de maio de 2014

O Jovem Candidato, o Diretor da Empresa e o Pai - Crônica





Um jovem foi se candidatar a um alto cargo em uma grande empresa . Passou na entrevista inicial e estava indo ao encontro do diretor para a entrevista final. O diretor viu seu CV, era excelente. E perguntou-lhe:
- Você recebeu alguma bolsa na escola? - o jovem respondeu - Não.
- Foi o seu pai que pagou pela sua educação?
- Sim - respondeu ele.
- Onde é que seu pai trabalha?
- Meu pai faz trabalhos de serralheria.

O diretor pediu ao jovem para mostrar suas mãos.
O jovem mostrou um par de mãos suaves e perfeitas.

- Você já ajudou seu pai no seu trabalho?
- Nunca, meus pais sempre quiseram que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, ele pode fazer essas tarefas melhor do que eu.

O Diretor lhe disse:
- Eu tenho um pedido: quando você for para casa hoje, vá e lave as mãos de seu pai. E venha me ver amanhã de manhã.

O jovem sentiu que a sua chance de conseguir o trabalho era alta!

Quando voltou para casa, ele pediu a seu pai para deixá-lo lavar suas mãos.
Seu pai se sentiu estranho, feliz, mas com uma mistura de sentimentos e mostrou as mãos para o filho. O rapaz lavou as mãos de seu pai lentamente. Foi a primeira vez que ele percebeu que as mãos de seu pai estavam enrugadas e tinham muitas cicatrizes. Algumas contusões eram tão dolorosas que sua pele se arrepiou quando ele a tocou.
Esta foi a primeira vez que o rapaz se deu conta do significado deste par de mãos trabalhando todos os dias para pagar seus estudos. As contusões nas mãos eram o preço que seu pai teve que pagar por sua educação, suas atividades escolares e seu futuro.
Depois de limpar as mãos de seu pai, o jovem ficou em silêncio organizando e limpando a oficina do pai. Naquela noite, pai e filho conversaram por um longo tempo.

Na manhã seguinte, o jovem foi encontra-se com o Diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do moço quando ele perguntou:
- Você pode me dizer o que você fez e aprendeu ontem em sua casa?
O rapaz respondeu:
- Lavei as mãos de meu pai e também terminei de limpar e organizar sua oficina. Agora eu sei o que é valorizar, reconhecer. Sem meus pais, eu não seria quem eu sou hoje... Por ajudar o meu pai agora eu percebo o quão difícil e duro é para conseguir fazer algo sozinho. Aprendi a apreciar a importância e o valor de ajudar a família.

O diretor disse:
- Isso é o que eu procuro no meu pessoal. Quero contratar uma pessoa que possa apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conhece os sofrimentos dos outros para fazer as coisas, e que não coloca o dinheiro como seu único objetivo na vida. Você está contratado.

Uma criança que tenha sido protegida e habitualmente dado a ela o que quer, desenvolve uma mentalidade de "Tenho direito" e sempre se coloca em primeiro lugar. Ignora os esforços de seus pais.
Se somos esse tipo de pais protetores, estamos realmente demonstrando amor ou estamos destruindo nossos filhos?
Você pode dar ao seu filho uma casa grande, boa comida, educação de ponta, uma televisão de tela grande... Mas quando você está lavando o chão ou pintando uma parede, por favor, o faça experimentar isso também . Depois de comer, que lave os pratos com seus irmãos e irmãs. Não é porque você não tem dinheiro para contratar alguém que faça isso; é porque você quer amar do jeito certo. Não importa o quão rico você é, você quer entender. Um dia, você vai ter cabelos brancos como a mãe ou o pai deste jovem.

O mais importante é que a criança aprenda a apreciar o esforço e ter a experiência da dificuldade, aprendendo a capacidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

THE OFFSPRING - PUNK ROCK DE VERDADE




1984.

George Orwell profetizou que seria o ano da rebelião contra o Big Brother.

Dois garotos, CDF's do colégio no condado de Orange, um dos mais belos e exclusivos lugares da costa californiana, para quebrar a monotonia dos estudos resolvem ir ao show da nova atração local: Social Distortion, uma punk-band liderada por Mike Ness, um cara que está levando o rock'n'roll a sério, tanto com as letras das suas músicas, tanto nas confusões em que está se metendo...




Nossos dois nerds, Bryan Dexter (é claro que o seriado do Dr.Dexter foi inspirado nele...) Holland e Greg Kriesel, como em todas as histórias de rock'n'roll , ficam tão impressionados com a energia de Mike Ness e Social Distortion que resolvem montar uma banda de punk-rock! Parece a história do The Clash no show do Sex Pistols em 1976...

Adeus aos óculos fundo-de-garrafa? Adeus aos livros e 'bora cair nas tentações malditas do rock'n'roll?



Nada disso! Dexter e Greg deixam a banda como um projeto paralelo e se dedicam aos estudos até conseguirem uma graduação com elogios, pressentindo uma carreira de sucesso na emergente indústria tecnológica californiana!

Ao longo da estrada se juntaram a eles James Lilja, que assumiu os tambores, e o guitarrista Kevin "Noodles" Wasserman, este último em principio pelo fato de que tinha mais de 21 anos e poderia providenciar cervas e whiskies (de acordo com as leis californianas, a venda e o consumo de álcool são permitidos somente aos maiores de 21 anos.... e não adianta: se você não demonstra fisicamente mais de 35 anos, qualquer atendente lhe pede sua identidade...). Dexter deixou a sua primeira paixão, a bateria, para se engajar na voz e na guitarra, enquanto Greg mandava no baixo.




Alguns anos depois, após o primeiro disco, lançado por uma etiqueta independente , elogiado por parte das mídias especializadas, foi a hora de tomar decisão: cair na farra ou seguir carreira com gravata e terno? E foi assim que o batera Lilja resolveu enfrentar os passos mais seguros de uma carreira de ginecologista... Para destruir caixa e bumbo foi selecionado o Ron Welty, um garoto de 16 anos com grandes potencial.



Nos anos sucessivos, a fama dos garotos só aumentava. O terceiro álbum SMASH, de 1994, alcançou o topo das paradas, emplacou 3 singles arrasadores, vendeu 6 milhões de cópias e ainda hoje é o disco mais vendido de uma etiqueta independente!

Após poucos anos, os garotos CDF's, com óculos fundo-de-garrafa que deixaram de ser funcionários da Microsoft ou da Google , já tinham ganho dezenas de milhões de dólares, tornando-se a banda punk mais rica do planeta!

As músicas Come Out And Play e Self Esteem tornaram-se os novos hinos geracionais da juventude rebelde e dos punks de todo o mundo. As letras deles, bem diretas e bem cortadas em cima dos sentimentos e da vida do jovem de classe média americano, insufladas pelos poderosos riffs de guitarra e sustentadas de solida base rítmica, criaram o novo modelo musical do punk-rock, ao qual bandas como Green Day e Blink 182 atingiram com grande sucesso.



A crista alta da onda do Offspring produziu ainda álbuns milionários e hits n.1 no mundo inteiro. Em 1998, o disco Americana, antecipado pelo compacto "Pretty Fly (for a white guy)" estourou no topo das paradas.

Pretty Fly, com seus breaks sem sentido (gunter glieben glauchen globen - You haven't told me baby - Ha-ha Ha-ha - Uno dos tres cuatro cinqo cinqo seis) ajudada por um vídeo muito espirituoso, com suas letras sarcásticas de critica aos jovens que seguem as modas sem entende-las, se tornou a música da hora nos clubes de rock.




E depois?

A crista da onda começou a descer até morrer, mas os 4 nerds de Orange County já tinham conquistado o mundo, vendido milhões de discos, tocado para milhões de pessoas, comprado casas nas mais badaladas praias da Califórnia, adquirido um jet pessoal...

Os shows deles continuam poderosos. Já passaram em terra tupiniquim varias vezes. Essa será a quarta tournée deles no Brasil.

A última vinda, há alguns meses, no Rock In Rio, fez história: com o último membro vivo dos Ramones, Marky, eles se exibiram em alguns clássicos da banda.




fonte: http://mygodisrocknroll.soubh.com.br/