Mostrando postagens com marcador por onde anda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador por onde anda. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Por Onde Anda Marcelinho Carioca






Marcelo Pereira Surcin, o Marcelinho Carioca, nasceu no dia 1 de fevereiro de 1971, no Rio de Janeiro. Meio-campista, ficou conhecido como Pé de Anjo em suas passagens pelo Corinthians por cobrar faltas de forma magistral e pelo tamanho de seu pé (calça número 36).

Em 27 de setembro de 2011, Marcelinho Carioca aceitou o convite do América de Rio Preto-SP e se tornou gestor de futebol do clube. O retorno aos gramados de Marcelinho não era descartado. Entretanto, em 28 de fevereiro de 2012, alegando discordar das idéias dos demais dirigente do clube, Marcelinho anunciou sua saída da equipe interiorana.

Em 2012 lançou sua candidatura a vereador de São Paulo pelo PSB, mas não foi eleito, contabilizando 19.729 votos.

Em 2014 lançou sua candidatura a deputado estadual de São Paulo, mas não foi eleito, pois não contabilizou o número necessário de votos.





Flamengo





Iniciou sua carreira nas categorias de base do Flamengo e sua estreia não poderia mais marcante. Foi num clássico contra o Fluminense, no dia 30 de novembro de 1988 que o jovem Marcelinho (iria ganhar o apelido "Carioca? somente nos tempos de Corinthians), de apenas 17 anos, substituiu Zico, o maior ídolo da torcida rubro-negra, que se machucara aos 11 minutos de jogo.

Permaneceu na Gávea até 1993, onde conquistou glórias como a Copa do Brasil de 1990, o Campeonato Carioca de1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992, mas decepções, como o pênalti perdido na final da Supercopa dos Campeões da Libertadores da América, contra o São Paulo, no Morumbi, que rendeu o caneco ao Tricolor, que na época era comandado pelo inesquecível Telê Santana.



Corinthians




Em 1994 se transferiu para o Corinthians, uma negociação que girou em torno de US$ 800 mil, uma fortuna para a época. Em sua apresentação, afirmou que gostaria de fazer história no clube alvinegro. Em sua primeira passagem pelo Timão, que durou até 1997, ganhou um Campeonato Paulista e uma Copa do Brasil.

Foi vendido ao Valencia por US$ 7 milhões, mas não se adaptou ao clube espanhol e retornou ao Parque São Jorge, onde ficou até 2001. Em sua segunda passagem, faturou os Campeonatos Brasileiros de 1998 e 1999, os Paulista de 1999 e 2001 além do Mundial de Clubes da FIFA, em 2000, cuja final foi contra o Vasco.

Mas nem tudo foram flores no Corinthians. Na semifinal da Libertadores de 2000, disputada contra o arquirrival Palmeiras, perdeu o pênalti que acabou com as chances do time chegar na final da competição internacional. A partir daí seu relacionamento com a fiel torcida foi piorando até que em 2001 o clima acabou.

O meia foi acusado de tentar denegrir a imagem do então companheiro Ricardinho (disse a jornalistas que o meia, por ser o traíra do grupo, havia apanhado dos demais atletas). Marcelinho entrou em atrito com diretoria e comissão técnica e acabou afastado. Após ficar 36 dias treinando sozinho no Centro de Treinamento de Itaquera, conseguiu na Justiça o direito de mudar de clube e acertou a sua transferência para o Santos, onde reencontrou o também ex-corintiano Viola.

Esta não foi a única polêmica que o craque se envolveu em sua carreira. Ele não tinha um bom relacionamento com o técnico Vanderlei Luxemburgo, que o acusou de ter pego o jogador com mulheres na concentração.




Outros clubes






Depois do Santos, passou por diversos clubes do Brasil e do exterior como Gamba Osaka (Japão), Vasco (foto ao lado), Al Nasr (Arábia Saudita), Ajaccio (França), Brasiliense até retornar ao Corinthians, no ano de 2006, onde jogaria para pagar uma dívida que tinha com o clube, mas no mesmo ano o então técnico Emerson Leão pediu sua dispensa, encerrando de forma melancólica esta passagem pelo Timão.





Marcelinho ensaiou uma carreira como comentarista de futebol, inclusive entrando na faculdade de jornalismo, mas em 2007 recebeu um convite do Santo André, um de seus últimos clubes, e em 2008 levou o time do ABC Paulista a Série A do Campeonato Brasileiro.

Marcou quatro gols no Brasileirão de 2009 e, apesar de boas apresentações pelo Santo André, não evitou a queda do Ramalhão para a série B.

A equipe terminou em 18º lugar, à frente apenas do Náutico e Sport, ambos do Recife.

No final de 2009, foi anunciado como uma espécie de
"embaixador" do Corinthians para o ano do centenário do Timão, em 2010, e também para disputar alguns amistosos de despedida com a camisa alvinegra, sua "segunda pele", como ele costuma definir.

Em 2010, o ex-jogador do Timão disputou as eleições para deputado federal pelo PSB-SP, e mesmo com 62 mil votos não conseguiu se eleger, mas ficou como suplente.




Eleito pelo PSB e hoje filiado ao PT, ex-jogador Marcelinho Carioca vai para o Congresso na vaga de Márcio França (PSB), vice-governador eleito por São Paulo, que decidiu tirar licença a partir da próxima semana



22 DE NOVEMBRO DE 2014

 Marcelinho Carioca vai assumir como deputado pelo PT a partir da próxima semana, informa o colunista Ilimar Franco, do Globo.

Eleito pelo PSB, mas hoje filiado ao Partido dos Trabalhadores, ele entra na vaga do deputado Márcio França (PSB), vice-governador eleito por São Paulo.

França, que é presidente do PSB paulista, decidiu que vai tirar licença a partir da próxima semana.




Fontes: www.brasil247.com
            terceito tempo

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Por onde anda a atriz Cláudia Rodrigues, De A Diarista?

Ela se tornou famosa e popular por conta de sua atuação como atriz e humorista brasileira.
A atriz Cláudia Rodrigues se destacou na tv, principalmente, por seu destaque na série de televisão A Diarista, onde viveu o papel de protagonista interpretando a querida Marinete.

E mesmo com o sucesso da série A Diarista, além de outros programas como o Caça Talentos, Sai de Baixoe Casseta & Planeta, Urgente!, a atriz sumiu de vez da mídia e nunca mais se ouviu falar de Cláudia Rodrigues.





Claudia teve que se afastar das telinhas depois do fim de contrato com a Rede Globo de televisão no início de 2015 e por conta de uma crise de esclerose múltipla. A atriz não é mais contratada da emissora, mas a empresa ainda paga o plano de saúde e cuida de sua internação, segundo afirma a Central de Comunicação da Globo. Ela conta que até pensou em suicídio.




A eterna Marinete de A Diarista descobriu a esclerose múltipla
(uma doença que é degenerativa e ataca o sistema nervoso) no ano de 2006. Ela atuou em A Diarista em 2011 e, logo em seguida, passou a fazer parte do elenco humorístico do programa que ia ao ar todos os sábados, o Zorra Total. O Zorra foi ao fim em Dezembro de 2014.



Em entrevista ao programa Domingo Espetacular, da Rede Record, ela revelou que a doença possui um tratamento muito caro e que se não for tratada, chega a um estágio de evolução mais rápido e agrava mais ainda a saúde de quem a porta, fazendo com que se perca a coordenação motora e adquirindo problemas de fala.





fonte: www.fatosdesconhecidos.com.br

Por Onde Anda a Atriz Neuza Borges?


Desempregada há dois anos, Neuza Borges decidiu abrir um brechó para sobreviver. Mas isso só foi possível graças à solidariedade de dona Neide, mãe de Bruna Marquezine. Sensibilizadas com a difícil situação da artista, mãe e filha doaram uma grande quantidade de roupas da atriz para que Neuza pudesse abrir a loja em Salvador, onde mora com uma das duas filhas e os três netos.
"Se não fosse a Bruna Marquezine e a mãe dela, eu estaria passando fome. Sou muito grata a tudo que elas fizeram por mim", agradece Neuza, emocionada.
Bruna e Neuza se conheceram durante as gravações de "América" e voltaram a contracenar juntas em "Salve Jorge", última novela da atriz, de 74 anos. A iniciativa de ajudar a veterana veio quando Neuza contou que sempre enfrenta dificuldades quando não está no ar.
“Sempre que uma novela acaba, eu fico cinco, seis anos passando por dificuldades. Cansei de ir a programas de televisão dizer que estava passando fome, que precisava trabalhar. Montei essa loja para sobreviver",
explica.




Neuza Borges abre brechó com peças doadas por atrizes
Neuza Borges abre brechó com peças doadas por atrizes Foto: Arquivo pessoal



A atitude de Bruna fez com que Neuza recebesse doações de outras companheiras da novela, como Dira Paes e Aimée Madureira, além de amigos, familiares e anônimos. "São roupas boas, seminovas, nada de quinquilharias... E a preço de banana. Uma peça que custa R$ 2 mil na loja, aqui eu vendo por R$ 250. A loja faz mais sucesso com os turistas", comemora. Neuza conta ainda que muitos que compram as peças não sabem que elas pertenciam à atrizes famosas.

Com o lucro das vendas, Neuza paga o aluguel do espaço onde o brechó funciona, quita as contas e faz supermercado uma vez por semana. Ela ainda separa uma parte do dinheiro para ajudar uma instituição carente. "O que eu recebo com as vendas, não chega perto do salário que eu ganho quando faço uma novela, mas, graças a Deus, está dando para sobreviver".

Sem condições de contratar um funcionário para ajudá-la, Neuza trabalha sozinha e diariamente no espaço, batizado de brechó de La Borges. "Eu queria muito trabalhar, fazer novelas, mas é muito difícil nesse país escreveram personagens para pessoas negras da minha idade", reclama.

Há dois anos, Neuza foi internada no Rio após sofrer um Acidente Vascular Cerebral. No Carnaval de 2003, ela caiu de um carro alegóricos da Unidos da Tijuca. A atriz foi indenizada oito anos depois em R$ 700 mil. Com esse dinheiro, Neuza deixou o aluguel e comprou um imóvel onde mora com a filha em Salvador.

Neuza Borges abre brechó com peças doadas por atrizes
Neuza Borges abre brechó com peças doadas por atrizes Foto: Arquivo pessoal



Neuza Borges abre brechó com peças doadas por atrizes
Neuza Borges abre brechó com peças doadas por atrizes Foto: Arquivo pessoal




Leia mais: http://extra.globo.com/famosos/neuza-borges-sobrevive-com-brecho-de-pecas-doadas-por-atrizes-se-nao-fosse-bruna-marquezine-eu-estaria-passando-fome-13823941.html#ixzz3qSglT1Bp

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

POR ONDE ANDA MARY TEREZINHA?


Quem percorre a redes sociais em busca de informações sobre Teixeirinha logo se depara com tópicos perguntando, afinal, por onde anda Mary Terezinha, a acordeonista e cantora que – durante 22 anos – formou dupla dentro e fora dos palcos com o Rei do Disco. Muitos boatos sobre a vida da artista já foram inventados e a curiosidade sobre o destino de Mary continua predominando entre seus admiradores.
Para que não restem mais dúvidas, vamos saber o que ocorreu com Mary nos anos que se sucederam à separação da dupla e, finalmente, como está a “menina da gaita” hoje. Em 1983 Mary e Teixeirinha separaram-se nos palcos e na vida pessoal. Com o fim da dupla, a acordeonista, então com quase 40 anos, casou-se com o mentalista Ivan Trilha. Com ele percorreu vários países. Em dezembro de 1985 Teixeirinha faleceu em Porto Alegre. Mary afirmou, anos depois, o que sentiu naquele dia: “Estava no Rio de Janeiro quando ele morreu. Quem me avisou foi o Luís de Miranda, pelo telefone. Enviei Alexandre ao velório, mas não fui junto. Para mim a morte não existe: existem apenas as pessoas e aquilo que nos deixam. E o legado de Victor Matheus Teixeira eu conheço bem.”




Mary Terezinha no especial "Teixeirinha, o Gaúcho Coração do Rio Grande"




Pelo mundo, Mary percorreu várias nações ao lado de Trilha. Eles conheceram grandes personalidade como Mercedes Sosa e o general Noriega do Panamá. Em 19 de junho de 1989, o casamento chegou ao fim. Mary e Ivan começaram a divergir, entre outros fatores, porque a vida do mentalista era muito corrida e não tinha paradeiro. Durante os anos do casamento, entretanto, Mary não se afastou da música. Gravou alguns LPs naquele período e, depois do matrimônio, inclinou-se cada vez mais para a política, sendo partidária do PDT de Leonel Brizola.
No início dos anos 1990, Mary Terezinha converteu-se à doutrina evangélica, fato que mudaria completamente sua vida. A partir de então, passou a cantar apenas músicas relacionadas ao novo credo, especializando-se no gênero gospel. Em 1992, fora dos holofotes da mídia, lançou o livro “A gaita nua”, sua autobiografia, na qual conta em detalhes os anos em que passou ao lado de Teixeirinha.
Como missionária evangélica, a “menina da gaita” continuou percorrendo o Rio Grande do Sul e o Brasil, agora levando mensagens de fé. No início dos anos 2000, gravou dois CDs: “Mari Terezinha” e “A serviço do Rei”, ambos com músicas de sua autoria cantadas ao som do eterno companheiro acordeom. Passou a ter o nome escrito sem a letra Y no final. Seus discos louvam Deus e Cristo, numa linguagem simples e com ritmos já consagrados, tais como o xote e a vaneira. No primeiro CD, Mary dedica uma faixa ao testemunho de sua conversão. Durante alguns minutos, ela conta como foram os difíceis anos depois da separação de Teixeirinha e de que forma ela converteu-se à doutrina evangélica.




Na capa de um de seus CDs gospel

Mary, mãe de dois filhos (Alexandre e Liane, também filhos de Teixeirinha), hoje está com 69 anos e mais viva do que nunca. Continua pregando os ensinamentos bíblicos em toda parte em que lhe chamam. Um de seus discos já vendeu mais de 100 mil cópias, mesmo sem contar com apoio da grande mídia. Entrevistada pelo jornal Zero Hora em 2006, ela revelou: “Não interessa o passado. Sou outra. Sou uma nova criatura. Não quero falar”. E para os fãs que desejam saber seu paradeiro, mandou um recado: “Eu não morri, viu? Tô viva.”



Mary segue cantando para seus fãs. Capa do CD "A serviço do Rei"

Em 2005, numa das raras entrevistas à TV, Mary reapareceu, falando dos anos em que conviveu ao lado de Teixeirinha. Foi no especial “Teixeirinha, o Gaúcho Coração do Rio Grande”, produzido pela RBS TV para saudar os 20 anos da morte do cantor. Mary mostrou-se disposta e disse que viveu momentos difíceis e momentos felizes ao lado do “rei do disco”. Afirmou, também, não guardar mais ressentimentos sobre o passado. Hoje, Mary reside na zona norte de Porto Alegre.




fonte: revivendo teixeirinha

domingo, 18 de outubro de 2015

Por Onde anda Lindomar Castilho




Conhecido como o rei do bolero na década de 70, Lindomar Castilho retoma carreira depois de cumprir doze anos de prisão por assassinar a mulher


Lindomar Castilho na rua e em sua casa, em Goiânia:
“Carrego um sentimento de culpa enorme”, diz o cantor, que recomeça a carreira, ainda atormentado pelas lembranças do crime que cometeu


Nem os boleros mais tristes teriam desfecho mais dramático. A história que envolveu os cantores Lindomar Castilho e Eliane de Grammont acabou em tragédia, abrindo uma ferida que ainda está longe de cicatrizar. O goiano Lindomar e a paulista Eliane se casaram no dia 10 de março de 1979, dois anos depois de se conhecerem no corredores da antiga gravadora RCA, em São Paulo. O cantor, na época, já era conhecido como o rei do bolero enquanto ela ainda ensaiava os primeiros passos de sua carreira. O casal teve uma filha, Liliane de Grammont, e se separou exatamente um ano depois da data do casamento. “Antes de casar, os dois decidiram que ela não cantaria mais para se dedicar ao lar”, conta Helena de Grammont, 50 anos, irmã de Eliane e repórter doFantástico.




Depois da separação, a cantora voltou a fazer shows. Na madrugada de 30 de março de 1981, ela cantava no Café Belle Époque, em São Paulo, acompanhada pelo violão de seu novo namorado, Carlos Randall, primo de Lindomar. Enquanto cantava os versos “Agora era fatal que o faz de conta terminasse assim”, da canção
“João e Maria”, de Chico Buarque, levou cinco tiros pelas costas. O autor do crime era seu ex-marido.

Depois de cumprir doze anos de pena – seis deles em regime semi- aberto – Lindomar Castilho ganhou liberdade em 1996 e tenta agora retomar a carreira, na esteira do sucesso de Reginaldo Rossi, outro cantor romântico que estourou nos anos 60 e voltou a ser notícia recentemente. O cantor está lançando Lindomar Castilho ao Vivo, o primeiro CD por uma grande gravadora desde o cumprimento da pena. “Minha voz não é a mesma, mas continua boa”, opina. Desde que se encontra em liberdade, Lindomar mora em Goiânia e evita ir a São Paulo. “Eu carrego um sentimento de culpa enorme”, diz o cantor. Arrependimento, no entanto, é uma palavra que ele prefere não pronunciar. “Não é arrependimento. A tragédia aconteceu, independente do meu querer ou não querer”, diz ele, enxugando as lágrimas e tentando mudar de assunto. “Agora estou procurando ocupar minha cabeça, trabalhando dia e noite nesse disco.”




Por ironia do destino, Lindomar saiu de Goiás para começar a carreira em São Paulo, em 1961, a convite de Paulo de Grammont, tio de Eliane e diretor artístico da Organização Vítor Costa, grupo de comunicação que detinha a concessão do canal 5. Nessa época Eliane nem era nascida. “Embora nossa família tivesse contato com Lindomar, nós só o conhecemos de verdade através de Eliane”, lembra Helena. “
Conhecíamos o artista, não a pessoa”.
Ainda em 1961, o cantor lançou seu primeiro álbum, com repertório de Vicente Celestino. Daí em diante trilhou um caminho de sucesso, chegando a vender, na década de 70, 500 mil cópias de um LP, marca mais do que satisfatória para os padrões da época. Com o novo disco, Lindomar pretende vender ainda mais. “Minha filha, Liliane, me fez uma grande surpresa, me procurando um dia antes do meu aniversário, em 1998”, lembra Lindomar. “Foi ela quem me sugeriu que eu retomasse a carreira”.



Lindomar não via a filha havia 17 anos. Liliane – que não retornou o contato ao ser procurada por Gente – cresceu em São Paulo, criada pelas tias Helena e Carmen de Grammont. Ela tem hoje 20 anos, é dançarina e realizou um curso de seis meses na escola de dança Julliard School, de Nova York, financiado pelo pai.

Desde aquele reencontro, Lindomar e Liliane voltaram a se ver poucas vezes. “Eu não a procuro por respeito à família atingida”, argumenta o cantor que não se sente à vontade em ligar para a casa de Helena de Grammont, com quem a filha mora atualmente. “Liliane foi atrás da história de sua vida. Ela precisava conhecer o pai”, explica Helena. “Nós nunca falamos mal do pai dela, aliás nós quase nunca mencionamos sequer o nome dele.”





Depois de ser procurado pela filha, Lindomar voltou a fazer alguns shows. Logo veio o convite da gravadora Sony, que foi aceito na hora. O repertório reúne grandes sucessos de sua carreira, incluindo composições próprias e canções de outros autores que ficaram famosas na sua interpretação. Estão no disco, entre outras, “Eu Vou Rifar Meu Coração” (que tem mais de 50 regravações mexicanas), “Você É Doida Demais” (regravada por Leandro e Leonardo) e “Cabecinha no Ombro”. Lindomar vive em Goiânia e namora a funcionária pública, Vera Cruz de Castro Lobo, 49 anos, que o cantor faz questão de manter distante da imprensa. “Ela não tem nada a dizer sobre tudo que aconteceu”, afirma Lindomar.



fonte: Terra

sábado, 12 de julho de 2014

Palitos Gina - Por onde anda a verdadeira GINA?

A verdadeira Gina se chama Zofia Burk e foi uma requisitada modelo publicitária da década de 70.



 Por onde anda a verdadeira Gina?              A moça sorridente estampa a caixinha de palitos há mais de 40 anos.


A Gina ilustra a caixinha de palitos mais famosa do Brasil há cerca de 40 anos. Na época em que a embalagem foi lançada, em meados dos anos 70, os consumidores logo se renderam a simpatia da mulher loira e sorridente. A imagem se tornou uma verdadeira identidade do produto, por isso ela é mantida até hoje.



A Gina da caixa de palitos se tornou um verdadeiro mistério com o passar dos anos. Muitas pessoas desconhecem a verdadeira identidade da mulher sorridente da embalagem, afinal, ela nem se chama Regina.

A jovem da caixa de palitos na verdade se chama Zofia Burk. Na época em que posou para foto da embalagem, ela tinha 29 anos de idade e trabalhava como atriz publicitária. Nos anos 70, Zofia era uma profissional muito requisitada no campo da publicidade e chegou a emprestar o seu rosto para os anúncios de outras marcas.




             Zofia Burk é a Gina da caixa de palitos. 



Zofia Burk nasceu na Polônia, mas chegou ao Brasil com cinco anos de idade. Aos 16 anos começou a trabalhar como modelo e seguiu esta carreira até os 32 anos de idade. Na época em que trabalhou com a marca Rela Gina, Zofia assinou um contrato de direito de imagem por tempo indeterminado. Hoje, ela não mantém qualquer tipo de relação com a empresa fabricante de palitos, mas mesmo assim continua estampando a caixinha.

Depois que deixou a carreira de modelo publicitária, Zofia Burk chegou a cursar psicologia, trabalhou como agente de turismo e também foi diretora de marketing na área de seguros na Credicard em São Paulo. Após 17 anos neste último trabalho, a eterna Gina resolveu se aposentar. Hoje, ela está com 60 anos de idade e mora no bairro paulistano do Sumarezinho.

Como Zofia Burk mantém o mesmo corte de cabelo há anos, muitas pessoas ainda a reconhecem como a ‘Gina da caixa de palitos’.



  
Com o fim da carreira de modelo, Zofia se tornou diretora de marketing na Credicard. 



A HISTÓRIA DA MARCA GINA

A caixa de palitos de dente é um produto da empresa brasileira Rela Gina. Tudo começou nacidade de Itatiba, no interior de São Paulo, mais precisamente em 1947. Após a sua fundação, a fabricante de palitos procurou conquistar espaço no mercado. Em pouco tempo de atuação, se tornou líder de segmento e ganhou notoriedade em todo o país.



fonte: http://www.mundodastribos.com/

Por Onde anda Zina do Pânico?




          O Comediante Zina ficou famoso e conhecido por todo o Brasil, por uma pequena frase
                                    ” Ronaldo, brilha muito no Corinthians”



Muita gente pensa que Zina morreu,pois apareceu um boato na internet,mas ele não morreu.
O poeta de uma palavra só Marcos da Silva Heredia, mais conhecido pelo apelido Zinaera um guardador de carros, nascido no Jardim Pan Americano, em São Paulo. O Pânico na TV começou a exibir Marcos falando somente Ronaldo, o que foi interpretado pelo entrevistado como uma forma de deboche de sua pessoa. Ele solicitou a indenização de R$ 232,5 mil no dia 22 de maio.
O processo continuou aberto até o dia 28 de junho, quando foi cancelado, após Zina aparecer pela primeira vez no palco do programa e assinar um contrato. Desde esta data, começou a fazer matérias com Alfinete e Sabrina Sato, geralmente em matérias relacionadas ao seu time, o Corinthians, e a seu bairro, o Jardim Panamericano bem como o time de várzea de lá, a Xurupita. Por ser um morador de origem humilde, recebeu uma casa de presente da produção, na verdade, fazia parte do acordo judicial para extinção do processo.




Além disso, conheceu Ronaldo, o Pacaembu e o Maracanã.Mas pouco tempo depois, foi detido por posse de cocaína. Foi liberado após pagar fiança, e voltou a equipe do programa. Mas, no dia 16 de janeiro de 2010, foi preso novamente desta vez por porte ilegal de arma. Ele foi solto no dia 5 de fevereiro, mas não regressou ao programaO diretor do “Pânico na TV”, Alan Rapp confirma que moço continua contratado da emissora.- O Zina tá respondendo processo na Justiça. Mas ele tá empregado na RedeTV!, recebe tudo direitinho. Agora ele não tá fazendo nada, tá se tratando, mas ele é funcionário nosso. Tem CLT e tudo o mais, disse o diretor 
  


  
                             Últimas Notícias de Zina.







Marcos Heredia da Silva, mais conhecido como Zina, está preso há dois meses por abandonar uma clínica psiquiátrica. A informação foi revelada no programa “A Tarde é Nossa”, da RedeTV!, nesta segunda-feira (27).

Cleunice Heredia, irmã de Zina, afirmou que ele foi preso por fugir da clínica onde estava internado desde o ano passado. Segundo ela, porém, falaram que Zina voltaria à clínica, mas segue em uma delegacia em São Paulo.

O departamento jurídico da emissora, juntamente com os advogados da Record, estão cuidando do caso. Durante suas participações no “Pânico na TV”, entre 2009 e 2010, Zina foi preso duas vezes.


.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Por onde anda Tina Turner?





Segundo o fansitewww.tinaturner.com.br, Tina Turner foi considerada a mais vibrante cantora da história da música. Quem a viu subir ao palco afirma que o calor e a energia transmitidos por ela não se compara a nenhuma outra sensação já vivida. Tina exalava sensualidade de cada poro desde o início de sua carreira, quando era vocalista do grupo The Ike & Tina Turner Revue, no final dos anos 50. Nessa fase, ela já era Tina Turner, mas nem sempre foi assim.

Tina nasceu Anna Mae Bullock, em Brownsville, Tenessee, no dia 26 de novembro de 1939. Abandonada pelo pai, junto com a irmã Alline, foi morar com a avó em Nutbush, para em seguida mudar-se para a casa de sua mãe em St. Louis, em 1956.




Foi lá que Anna Bullock conheceu Ike Turner, um roqueiro promissor que logo ficou impressionado com sua estrondosa voz e a convidou para cantar em sua banda. Inicialmente Anna não quis por não acreditar muito na história. Mas, diante da insistência de Turner rendeu-se o convite. Foi então que aos 18 anos, Anna Bullock se transformou em Tina Turner.

Primeiramente Tina juntou-se a Ike Turner para fazer uma turnê, como parte do backing vocal. Só dois anos mais tarde, Tina seria a estrela do show. E foi aí que o conjunto passou a chamar Ike Turner & The Kings of Rhythm. Tempos depois teria definitivamente o nome de Ike & Tina Turner.




Em 1960, a dupla começou a bater as listas de vendas com a música ‘A Fool in Love’. No decorrer da década, com ajuda do produtor Phil Spector, a banda explodiu com ‘River Deep Mountain High’ e, em 1971, consagraram o tema ‘Proud Mary’, uma versão da banda Creedence Clearwater Revival.

Mas, como na maioria das histórias, as fases boas não duram para sempre, com Tina não seria diferente. Anos depois ela abandonou Ike Turner devido a seu comportamento agressivo e consumo excessivo de drogas, além das diferenças pessoais. Do relacionamento, restou o nome consagrado de Tina e um filho.





Nos anos 70, o número de turnês e a venda de discos caíram, apesar do sucesso de Tina Turner durante sua atuação em “The Who’s Rock Opera”, onde ela cantou sozinha ‘Acid Queen’, apelido que foi lhe concedido pela mídia. Tina se viu livre e independente e acabou se separando legalmente de Ike exigindo na justiça apenas seu nome artístico. Para voltar a ser o que era Tina decidiu partir para carreira solo, com apresentações em alguns programas e quadros de TV, como The Hollywood Squares, Donny and Marie, The Sonny & Cher Comedy Hour.

Tina ainda gravou alguns álbuns para a United Artists no final da década de 70, que não renderam muita repercussão. Em 1983 voltou com o projeto dos integrantes de Heaven 17, Ian Craig Marsh e Martin Ware, denominado B.E.F., onde fazia uma versão do tema de The Temptations ‘Ball of Confussion’. Surgiu então um contrato com a gravadora Capitol. Era a chance de retomar o caminho do sucesso.





Seu primeiro single foi uma versão do clássico de Al Green ‘Let’s Stay Together’, que entrou com força nas listas em 1984. Foi seguido pelo sucesso de ‘What’s Love Got to Do With It’, que se mantiveram três semanas em primeiro lugar, convertendo-se em um dos hits da época. No mesmo ano lançou Private Dancer, com o qual conseguiu os sucessos ‘Better Be Good to Me’ e ‘Private Dancer’.

Tina ficou em evidência no mundo todo. Voltou a se apresentar nos palcos dos quatro cantos da Terra, cada vez mais brilhante. Esta talvez tenha sido a época da melhor fase musical de Tina. Sua música passava pelo rock, pelo R&B e pelo romantismo, tudo levado pela voz rosnante e sua sensacional presença de palco.

“We Don’t Need Another Hero’ em 1985 foi mais um estouro e ‘Typical Male”, do ano seguinte, seu último grande sucesso da década. Os anos 90 serviram para Tina se dedicar mais às turnês pelo mundo e editar discretos álbuns, que acrescentaram seu nome como artista consagrada.



Por Guilherme Costa

Mesmo com essas informações ainda fiquei curioso para saber algo atual sobre ela, pois bem segundo a Wikipédia - Em 2008, na Edição de 50 Anos do Grammy Awards, Tina Turner voltou aos olhos do grande público e fez uma apresentação histórica. Cher introduziu a performance, descrevendo-a como sua grande "heroína e amiga". Aos 68 anos, Tina demonstrou muito pique e disposição e muita potência vocal. Interpretou os hits "What's Love Got To Do With It", "Better Be Good To Me" e "Proud Mary", esta última em um dueto com a sua admiradora Beyonce.[1][22] Sendo considerada uma das melhores performances da noite.[23] O vídeo da apresentação, em poucas horas no ar, ficou em #4 entre os mais vistos da semana no Youtube. 12 Horas apos o grammy, Tina fez uma performance na Rússia, onde cantou nove de seus grandes sucessos, abrindo o show com Private Dancer, para um público de nove mil pessoas e para o presidente da Rússia




No dia 26 de abril de 2008, durante gravação do especial para o programa de TV de Oprah Winfrey, Tina Turner revelou que estava de volta com nova turnê[24][25], tendo início em 1 de outubro de 2008, na cidade Kansas, Estados Unidos.[26] [27] No final do ano, a turnê já havia rendido cerca de 47,7 milhões de dólares, entrando para o top 10 das turnês que mais arrecadaram naquele ano.[28][29] Também, no mesmo ano, foi lançado no dia 13 de setembro uma coletânea contendo duas músicas inéditas: I'm 
Ready e It Would Be A Crime. [30]



Em 12 Setembro de 2010 faleceu a irmã mais velha de Tina Turner, aos 73 anos. O tabloide National Enquired, anunciou o falecimento mas não divulgou as causa da morte de Alline Bullock, segundo o tablóide Tina Turner vôou imediatamente para o Hospital de Los Angeles onde chegou algumas horas antes do falecimento da irmã mais velha, Alline junto a Tina ajudou em algumas composições e na educação dos filhos de Tina durante gravações e nunca perderam contato de fato uma com a outra. Milhares de fãs de Tina Turner enviaram mensagem de 'pêsames' a rainha do Rock..



Sua ultima turnê foi em 2008, "Tina! 50th Anniversary Tour" Album: "Tina!"

Em novembro de 2010 ela completou 71 anos, e em dezembro ela rejeitou a idéia de uma turnê, ficando assim apenas a lembrança da época de ouro da Tina Turner, nos anos 80, em que ela foi considerada a rainha do rock, com sua voz indescritível e singular...


fonte: http://srbelau.blogspot.com.br/

domingo, 13 de abril de 2014

HÁ 30 ANOS, MARVIN GAYE ERA ASSASSINADO PELO PAI


  O músico morreu um dia antes de completar 45 anos, após ser alvejado pelo próprio pai

Um dos artífices da soul music, Marvin Gaye morria há exatos 30 anos. Se estivesse vivo, ele faria nesta quarta-feira, 2, 75 anos. O músico, que iniciou sua carreira na Motown, principal celeiro da música negra americana nos anos 1960, teve uma carreira de grandes sucessos. Ain’t No Mountain High Enough, I Heard it Through The Grapevine, What’s Going On e Mercy Mercy Me são alguns de seus hits, até hoje ouvidos em programações flashback de rádio.




Depois do grande sucesso de Sexual Healing, em 1982, que lhe rendeu dois prêmios Grammy, Gaye começou a ter crises depressivas e falava em suicídio. Ao se mudar para a casa do pai, o pastor Marvin Pentz Gaye Sr., os conflitos entre ambos se tornaram constantes. A última briga foi fatal. Um dia antes de completar 45 anos, o artista morreu com um tiro de espingarda disparado pelo pai. A arma foi presente do filho.




Gaye nasceu em Washington em 2 de abril de 1939. Como a maior parte de seus contemporâneos da Motown, começou cantando em igrejas. O pai, que tocava piano, era severo e batia no filho. Nos anos 1950, formou o quarteto vocal The Marquees. Após o fim do grupo se tornou músico de estúdio. Depois de conhecer o dono da Motown, Berry Gordy, lançou o primeiro single em 1961. Ele ficou 15 anos na gravadora.




Assista ao vídeo com toda a matéria!
 https://www.youtube.com/watch?v=4Ot_pBNsmpE

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Por onde anda Margaret Thatcher? A dama de ferro

Margaret Thatcher é fotografada durante raro passeio público


Inglaterra -  Em uma rara aparição pública, a "Dama de Ferro" Margaret Thatcher aproveitou um dia de sol em Londres para um passeio em um parque. A ex-primeira-ministra britânica de 86 anos se sentou em um banco enquanto crianças jogavam futebol por perto. Thatcher também brincou com um cachorrinho que apareceu durante o passeio.



"Dama de Ferro" raramente é vista em público desde que saúde ficou mais frágil 
A "dama de ferro" vestia um elegante casaco verde com luvas e cachecol. O cabelo mantém o famoso corte mas agora completamente branco. A ex-primeira-ministra encostou sua bengala no banco e, por vezes, não quis usá-la.
Thatcher passa a maior parte do tempo em sua casa em Belgravia, região central de Londres. As aparições públicas são cada vez mais raras. Margaret Thatcher sofre do Mal de Alzheimer e tem perda de memória frequente. Ela não estará presente no Jubileu de Diamantes da Rainha Elizabeth II nesta terça-feira.



Ex-primeira-ministra brincou com cachorro que apareceu no parque
Recentemente, Thatcher foi interpretada pela atriz Meryl Streep no filme "A Dama de Ferro", vencedor de dois Oscars. Ela também é lembrada pela proximidade do aniversário da guerra contra a Argentina, que completa 30 anos em 2012. A ex-premiêr é tida como uma das líderes femininas mais influentes e controversas da história.



Severa, Thatcher é lembrada por governar o Reino Unido de 1979 a 1990 com mão de ferro
Thatcher é elogiada por eleitores do Partido Conservador, que atribuem à ela o resgate da economia inglesa durante seu governo (1979-1990). Mas os críticos afirmam que Thatcher era severa demais com os mais pobres, destruindo sindicatos e gerando desemprego no país.  




Fonte: Ig
tags: inglaterra, primeira ministra, thatcher, dama de ferro, conservador, premier

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Gil gomes - Por onde anda?

 


Gil Gomes ficou famoso no programa: Aqui agora no SBT na década de 90. O programa tinha forte apelo popular caracterizado por seu formato e linguagem diferenciado do jornalismo sisudo e bem comportado da rede Globo  

O programa jornalístico dava ênfase a reportagens sobre acidentes graves e crimes de toda sorte, Gil Gomes teve um papel destacado. Foi no Aqui Agora que ele aprimorou o visual, a voz e o gestual que caíram no gosto do grande público e serviram de inspiração para os imitadores dos programas de humor.
 
 
Gil Gomes vestia uma camisa de cores berrantes, como se tivesse sido comprada numa banca de camelô de um bairro popular, em sua mão direita empunhava o microfone e a esquerda gesticulando em horizontal como se alisasse o pelo de um cão, Gil Gomes narra os fatos diretamente da cena do crime com sua voz arrastada e grave, que cresce em volume nos momentos mais dramáticos. Usa frases curtas, que às vezes nem chega a completar. Nas entrevistas, não adota uma posição neutra: se emociona diante das vítimas e explode de indignação diante dos criminosos.

 

Nota do autor   

 As crianças da época adoravam imitar o Gil Gomes,aquela voz grave pausada e os trejeitos com a mão.Gil Gomes era um dos repórteres mais famosos da época e a principal atração do programa.Hoje alguns programas de televisão na Bahia adotam formatos e linguagens populares e utilizam apresentadores e repórteres cada vez mais de forte apelo popular,é o caso de programas como :Na mira, Se liga Bocão etc.

 

 fonte: http://vejameurascunho.blogspot.com.br

tags: gil gomes, por onde anda, sumido, desaparecido, aqui e agora, sbt 

Por onde anda Baby Consuelo?




Baby do Brasil iniciou sua carreira como cantora do grupo Novos Baianos. Oriunda de uma família de classe média alta, foi criada nas cidades de Niterói e Rio de Janeiro. Começou a cantar e tocar violão ainda na infância, chegando inclusive a vencer um festival de música em Niterói aos 14 anos, no qual interpretou uma música do renomado maestro Eduardo Lages.
Em 1969, fugiu de casa para Salvador, Bahia, onde conheceu os músicos Moraes Moreira, Galvão e Paulinho Boca de Cantor, assim como o guitarrista e futuro marido Pepeu Gomes. Estava formado o grupo Os Novos Baianos, que, no ano seguinte, lança seu primeiro disco, É Ferro na Boneca, pela gravadora RGE Fermata. O trabalho coloca a banda na mídia nacional. Pouco tempo depois, a banda se muda para um sítio em Jacarepaguá, bairro do Rio de Janeiro, laboratório para criação daquele que viria a ser o LP de maior sucesso da banda, Acabou Chorare, eleito pela revista Rolling Stone Brasil como "o maior álbum de música brasileira de todos os tempos". Baby e Pepeu permaneceram no grupo até 1978, quando foi decidido que cada um iniciaria sua carreira solo.
O primeiro álbum solo de Baby, O Que Vier Eu Traço, atinge grande sucesso de mídia e de vendagem pela gravadora Warner Music. Seu primeiro grande sucesso solo foi a canção Menino do Rio, de Caetano Veloso, composta exclusivamente para Baby e tema da novela Água Viva da Rede Globo. A música fez parte de seu segundo disco solo, Pra Enlouquecer, novo campeão de vendas. Na capa, Baby aparece ao lado de quatro de seus (futuros) seis filhos: 'Riroca (que viria a trocar seu nome para Sarah Sheeva), Zabelê, Nana Shara e Pedro Baby. Os quatro tornaram-se músicos, e as três garotas viriam a formar a girl-band SNZ. Baby ainda daria à luz outros dois meninos: Krishna Baby (que aparece na contracapa do disco que leva o nome da criança, de 1984) e Kriptus Baby (presente na capa do álbum Sem Pecado e Sem Juízo, do ano seguinte).
No fim da década de 1990, Baby se tornou evangélica, mantendo sua carreira de cantora ao mesmo tempo que se tornou pastora da Igreja Ministério do Espírito Santo de Deus.
Atualmente está em produção o filme documentário "Apopcalipse segundo Baby", direção de Rafael Saar, uma cinebiografia da artista.


A parceria paz e amor dos “Novos Baianos” Pepeu Gomes e Baby do Brasil rendeu vários frutos: Riroca (que depois mudou o nome para “Sarah Sheeva”), Nana Shara, Pedro Baby, Krishna Baby, Kriptus Baby e Zabelê.



Ícone do período transgressor dos anos 70 com os Novos Baianos, Baby do Brasil leva uma vida bem diferente daquela que parecia ter liberdade ilimitada. Hoje, a cantora é evangélica e líder da Igreja Ministério do Espírito Santo de Deus em Nome do Senhor Jesus Cristo. 
Por conta disso, o sexo passou a ocupar lugar de pouca evidência na vida pessoal, conforme declarou em entrevista ao Ego. “Sempre tive homem na minha cama. Fui casada 18 anos com o Pepeu (Gomes, cantor), depois oito com o Nando Chagas (também músico). Sei que é bom. Tenho desejo, mas a carne não me vence. Não tenho que tomar o cálice até a última gota. Pai, afasta de mim esse cálice! Mas, para mim, nunca foi difícil (ficar sem sexo), sempre foi muito fácil. Graças a Deus, nasci com este dispositivo”, afirmou Baby, que assumiu também que não faz sexo há 13 anos.
Mas, engana-se quem pensa que Baby integra o time das religiosas moralistas. “Não sou acusadora, cheia 
de preconceitos. Me vejo muito como sobrenatural, bem 'Matrix' mesmo. Não estou além de nada, mas acho que tenho as antenas ligadas no sobrenatural de Deus. Vivo mais para o lado de lá do que para o lado de cá. Sou evangélica porque sou do Evangelho. Crente o diabo também é, porque ele sabe que Deus existe muito mais do que a maioria das pessoas. Sou crédula, da galera do 'eu creio'. Senão você taxa de alguma coisa, uma igreja ou pastor faz uma coisa errada e fica todo mundo com aquela cara... Sou evangélica, mas é bom que saibam que não estou fazendo parte de nada que está envolvido com qualquer coisa que não seja de fato os ensinamentos de Cristo”, concluiu.

http://www.cnews.com.br/conteudo_entretenimento.aspx?id=150742
http://pt.wikipedia.org/wiki/Baby_do_Brasil

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Por onde anda Maria Alcina?



Nascida em Cataguases, interior de Minas Gerais, Maria Alcina começou a carreira através da sua curiosidade musical. Após participar do 1º Festival Audiovisual de Cataguases, em 1969, a cantora, ainda menor de idade, decidiu tentar a sorte no Rio de Janeiro e reencontrou Antonio Adolfo, famoso produtor fonográfico que a convidou para ficar na Cidade Maravilhosa.

No Rio, Alcina ficou na casa do também produtor Ronaldo Werneck, onde ela o auxiliava nas tarefas domésticas. Tempos depois, fez testes para o grupo teatral Vem de Ré Que Estou de Primeira, mas não conseguiu ser aprovada. Porém, como ela assistia a todos os ensaios e sempre que tinha apresentações estava por perto, após a falta de Leila Diniz, foi convidada a participar da montagem. Nesta época, o Rio era um pólo de música e shows, e levada ao Number One, tradicional casa de espetáculos carioca, Mauro Furtado, diretor artístico da casa, quando escutou Alcina, a contratou.

Como a Number One era uma das casas mais importantes do Rio de Janeiro e freqüentada por ilustres espectadores, Solano Ribeiro, convidou Alcina para interpretar uma canção no VII Festival Internacional da Canção, na TV Globo.

Junto com a produção, Maria Alcina escolheu Fio Maravilha, e, mesmo não vencendo, ganhou muitos fãs e conseguiu uma grande repercussão com a letra escrita por Jorge Ben Jor.

Em 1973, a cantora gravou seu primeiro CD, Alô, Alô, mas em 1974 foi censurada por comportamento subversivo. Lendo um jornal, Maria Alcina ficou interessada pelo Pastoril do Velho Faceta (figura folclórica de Pernambuco) e como estrearia um espetáculo chamado Plenitude, decidiu colocar no repertório a canção É Mais Embaixo e, meses depois, assinava um longo contrato com a gravadora Copacabana.

A música estourou e a gravadora decidiu que músicas com duplicidade de sentido era um filão de mercado, mas Alcina buscava a essência, o folclore, e, assim, prosseguiu. Gravou Bacurinha, e explodiu, assim como A Espiga. E quando escutou Prenda o Tadeu, que fazia sucesso no Nordeste com Cremilda, aliou à canção um gesto forte e mais uma vez o sucesso se fez.

Nos anos 80, o mercado musical começava a mudar, a gravadora queria manter o estilo musical, com letras explorando a duplicidade, mas Alcina decidiu rescindir o contrato, já que nas músicas que havia gravado estava retratado o folclore e não músicas de “sacanagem”.

Em 1990, Alcina grava mais um LP intitulado Bucaneira, letra escrita por Belchior, porém, com o estouro do sertanejo, a música acabou restringindo o seu campo de atuação e Alcina decidiu embarcar para Miami, onde ficou por um bom tempo com uma repleta agenda de compromissos.

Em 2003, com o Grupo Bojo, Alcina gravou o seu 1º CD e, no mesmo ano, a Warner, que comprou os direitos da Chantecler e Continental relançou os CDs da cantora e, através deste lançamento, Maria Alcina pode reencontrar muitas pessoas que lhe auxiliaram na empreitada musical, como o jornalista Pedro Alexandre Sanches.



Separada, aos 58 anos e sem filhos, Maria Alcina continua firme em suas turnês internacionais. Visitou recentemente a Alemanha para uma série de shows e está terminando o segundo CD, Maria Alcina, Confete e Serpentina, produzido por Maurício Bussab, da Banda Bojo, que será lançado em janeiro de 2008.


Ainda neste mês de setembro, a cantora percorre as principais cidades de Minas Gerais, no projeto Samba Minas, que foi concebido por Flávio Leite e que relembra a trajetória dos três mais importantes intérpretes mineiros:Ataulfo Alves, Geraldo Pereira e Ary Barroso. 




fonte: hipertensão
tags: cantora, maria alcina, anos 70, por onde anda

Por onde anda a cantora Carmen Silva?


Carmem Silva é uma cantora brasileira.
Foi babá e empregada doméstica. Participou de vários programas de calouros. Venceu o concurso "Um Cantor por um milhão/um milhão por uma canção", da Rede Record. Gravou seu primeiro disco na gravadora Philips, um compacto duplo. Ganhou diversos prêmios e troféus, como o Roquete Pinto e o Chico Viola. Seus principais sucessos são: "Adeus Solidão", "Fofurinha", "Sapequinha", "Espinho na Cama", "Fotografia", "Amor com Amor se Paga" e "Ser tua Namorada". Atualmente, Carmem Silva é evangélica e cantora gospel e faz parte do casting da gravadora Graça Music.










1. Vitória
2. No Mar da Vida
3. Sigo Confiando em Ti
4. Santo
5. É Somente Crer
6. Jerusalém, Cidade de Deus
7. Vamos Louvar
8. Foi por Ti
9. Grandioso És Tu
10. Ele Vem
11. Não Rejeite o Amor de Jesus
12. Eu Só quero Ter Jesus












20 Supersucessos - Carmen Silva(2005)




Fofurinha
Tempero Bom
Sempre Juntos
Se Você Quer Amor
Que Saudade De Voc
Onde Andará Você
Personagem Principal
Ser Tua Namoradaenvie esta letra »
Te Amo
Formiguinha
O Destino Nos Separou
Chorando Na Estação
Minha Doce Loucura
Dor Bandida
Prisioneira Do Amor
Não Judia Não
Nunca Mais Solidão
É Sempre Um Começo
O Teu Sorriso
Baile Na Fazenda







tags: cantora, por onde anda, gospel, cantora gospel